Rede de tráfico de seres humanos explorava sexualmente e violava mulheres em Cascais

Segurança

Por Redação


O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) desmantelou uma rede de Tráfico de Seres Humanos para exploração sexual, auxílio à imigração ilegal e lenocínio, que teria a sua base em Cascais e os dois principais suspeitos, um português e um estrangeiro, foram detidos e viram esta sexta-feira confirmada a prisão preventiva.


A investigação, sob a coordenação do Ministério Público (MP) de Cascais, culminou na detenção de dois suspeitos, um português e um estrangeiro, alegados lideres da rede, e em cinco buscas domiciliárias em Cascais, Amadora e em Lisboa.


O SEF informou que no âmbito da operação, que decorreu na quarta-feira, houve ainda diligências no Algarve.


Nove mulheres, cinco das quais estrangeiras, e três homens foram identificados pelos inspetores-adjuntos do SEF no decurso da ofensiva.

Os inspetores-adjuntos lograram, ainda, confiscar cerca de 6.000 euros em dinheiro, diverso material tecnológico e outra prova que indicia a relação entre os suspeitos e a atividade criminal alegadamente desenvolvida.


Nesta operação foram sinalizadas três vítimas de tráfico de seres humanos, revelou, ainda, o SEF.


As mulheres eram condicionadas na sua liberdade, confinadas a espaços dos suspeitos, eram-lhes retirados os documentos, sujeitas a coação psicológica, ameaçadas fisicamente e ainda violadas.


A investigação teve início na denúncia de alegadas ameaças físicas e uso de violência sobre as mulheres que eram prostituídas e prossegue agora também pelo crime de violação.

Os dois presumíveis chefes da rede foram esta sexta-feira submetidos a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Cascais e viram decretada a prisão preventiva, tendo ambos recolhido ao Estabelecimento prisional de Caxias.


Imprimir

Sem comentários:

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE