POLÍCIAS recém-formados coagidos por RUFIAS da Torre a não habitarem no bairro

SEGURANÇA


Por VALDEMAR PINHEIRO (Jornalista)
07 outubro 2022 | 16h17

EXCLUSIVOCascais24Horas | Jovens agentes da PSP recém-formados foram coagidos por rufias do bairro da Torre a não residirem no edifício dos Serviços Sociais daquela força de segurança pública situado naquele bairro, onde nos últimos tempos e de forma impune tem proliferado o tráfico de drogas, apurou Cascais24Horas.

Esta semana, à sua chegada junto do edifício, os novos polícias foram rodeados por diversos indivíduos, muitos deles jovens, apeados e de bicicleta, que terão adotado atitudes de grande hostilidade e de desafio.

Enquanto isto, uma cidadã romena ter-se-á aproximado de um dos polícias e aconselhado a que não habitassem o local por "não ser desejável". 

Os agentes, que trajavam à civil e, segundo apurou Cascais24Horas, faziam-se transportar na viatura particular de um deles, foram apanhados de surpresa pelo comportamento dos rufias, aparentemente instrumentalizados pelos traficantes que, estranha e por coincidência ou não, pareciam estar informados da sua chegada ao bairro.

Perante esta situação, os agentes terão manifestado à hierarquia a intenção de não irem viver para as casas de coabitação atribuídas pelos Serviços Sociais da PSP naquele bairro.

Os novos polícias receiam, sobretudo que venham a sofrer danos patrimoniais, sobretudo nas suas viaturas, para além de considerarem que a sua integridade física pode ficar em risco.

Cascais24Horas procurou sem sucesso junto de fontes oficiais da PSP, nomeadamente do Cometlis, confirmar e obter mais informações relativamente a este caso, que é grave e constitui um autêntico atentado e desafio às liberdades dos cidadãos, com a agravante de ser dirigido a agentes de segurança pública que representam o Estado de Direito Português.




3 comentários:

Cidadão disse...

Está a ser colhida a tempestade resultante dos ventos que, com a sua passividade e "brandos costumes", o povo português tem andado a semear nos últimos anos. E preparem-se que ainda vai piorar mais...

Anónimo disse...

O resultado aqui exposto nem devia admirar tanto o leitor... sendo apenas um reflexo das políticas governamentais dos últimos 12 anos, em que, a despenalização, a descriminalização, a dualidade de direitos e reconhecimento de cidadãos de primeira e de de segunda prolífera, onde a liberdade descontrolada e infraccionária domína e sem consequências punitivas de relevo ... e num País em que,"a alguns", é permitido não ter vergonha, não recear punição e não respeitar as forças de segurança e\ou as leis gerais do País como qualquer outro cidadão Português.

Anónimo disse...

É um dos pilares fundamentais de qualquer sociedade democrática que está a ser atacado com o alto patrício dos sucessivos governos de esquerda dos últimos anos.
Não admira que perante isto os policias sigam as pisadas dos políticos e passem a olhar para o seu umbigo em vez de olharem para uma sociedade que cada vez merece menos o seu esforço e dedicação a troco do ordenado mínimo!

FOI NOTICIA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA