PESCADORES de Cascais mostram indignação com faixas na Baia

ATUAL

FAIXAS na Baia mostram a revolta dos pescadores de Cascais

Por REDAÇÃO
25 agosto 2022 | 16h10

Diversas faixas colocadas na Baia mostram a indignação dos pescadores de Cascais pela forma como têm sido tratados pelo executivo municipal numa vila tradicional e culturalmente de Pescadores.

As faixas, para além de em algumas bandeiras negras também em algumas embarcações, foram colocadas a poucas horas do início das Festas do Mar e profusamente divulgadas nas redes sociais.

A revolta mais recente, segundo apurou Cascais24Horas, tem a ver com a transferência temporária para a Marina de Cascais dos contentores colocados na Baia onde é feita a pesagem do pescado.

“A Câmara disse sempre que a Marina não é para os pescadores, mas agora serve como posto de transferência de pescado”, disse um pescador, que pediu o anonimato.

Entretanto, oficialmente as duas associações representativas dos pescadores de Cascais, apurou Cascais24Horas, demarcaram-se da iniciativa de colocar as faixas na Baia.

Já a página do Facebook Pescadores OrigensdeCascais refere que “houve tempo em que as “Festas do Mar” eram as festas dos pescadores e do mar. Hoje, nada têm a ver com esse denominador comum. Tristemente, o que se constata é que cada vez mais os pescadores e o mar são apenas o pretexto para a CMC organizar mais um evento/festival de Verão em que apoia tudo menos quem faz de Cascais a vila piscatória que tradicionalmente é”.

“Os pescadores não estão, evidentemente, contra as Festas – aliás até são bem-vindas, sobretudo o momento tão querido aos pescadores que é o dia da procissão de Nossa Senhora dos Navegantes. Mas uma coisa é ser a favor das Festas, outra ser a favor DESTAS Festas: umas Festas em que a CMC não hesita em atropelar os pescadores e a sua vida diária”, pode ler-se no mesmo post. 

“Mudam a lota de local, o cais dos aprestos, onde todos os dias precisamos de acesso, porque é ali que trabalhamos a qualquer hora do dia sem condicionamentos, está agora limitado pelo posicionamento, à entrada do cais, de wc,s e roulotes de fast-food”, lê-se ainda.

E, o post conclui: “Deveriam copiar o bom exemplo da vila piscatória vizinha, Ericeira, onde os pescadores também fazem parte da sua identidade. Aí sim, são Festas do Mar. Uma vila onde o sector piscatório e sua tradição é acarinhado e protegido pelas suas gentes e dirigentes municipais. Isso é que é ser inclusivo”.

Em Cascais a pesca emprega mais de uma centena de pessoas e constitui o sustento de muitas famílias.

Entretanto, segundo apurou Cascais24Horas, o município está a oferecer 200 euros ao dono de cada barco de pesca que integre o tradicional cortejo marítimo da procissão de Nossa Senhora dos Navegantes, que tem lugar no próximo domingo.



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Sem comentários:

Publicação em destaque

SEMÁFOROS avariados há 3 semanas provocam caos no trânsito em rua estreita de Manique de Baixo

SAIBA mais  

FOI NOTICIA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA