O medo impede o caminho para a liberdade


                                                          01 NOVEMBRO 2019

Quando se perde parte de uma vida, onde a juventude deveria ter sido vivida e aproveitada.

A imaturidade, e a ausência de apoio familiar é predominante nesta etapa, para evitar muitas mazelas em todos.

Teresa casou com 16 anos, uma idade, que pouco ou nada se sabe da vida, quanto mais de um casamento a dois.

Durante 35 anos, esteve "amarrada" a um vício, que poderia ter sido fatal.

Teresa teve 6 filhos, viveu todo o seu casamento debaixo de grandes maus-tratos.

Quer psicológicos, quer físicos.

Foi várias vezes ameaçada de morte, tendo culminado uma das situações na tentativa de homicídio a um dos seus filhos, que acorrera em seu auxílio.

Era a única, que trabalhava para sustentar a casa, em vez de 6 filhos passou a ter 7,com o marido. Este último exigia-lhe dinheiro para os gastos na noite e no álcool.

Este era viciado em álcool, saídas nocturnas.

Teresa, 60 anos, ainda tem esperança de ser feliz!
Mas, Teresa não podia ter amigos, se os tivesse seria pior pelo que evitava conviver fosse com quem fosse.

Estranho será questionar, o que leva uma mulher tantos anos a ser maltratada e ter tantos filhos?

Mas, a resposta é simples, Teresa acreditava que por cada filho que nascesse, havia uma mudança. Esta é a expectativa que a maior parte das vitimas têm…seja com o nascimento dos filhos, seja com a aproximação de uma data importante (aniversário, Natal)..

Fez muitas queixas ao longo dos 35 anos, na polícia, chegou a ir a tribunal, mas Teresa desistia das queixas, caso contrário sabia que ia sofrer mais agressões. Para além deste medo ela tinha seis filhos que tinha de proteger a todo o custo, nem que isso representasse o ser agredida fisicamente.

Sentia-se sozinha no mundo.

A família e amigos chegados sabiam, mas nada fizeram.

O marido de Teresa adoece gravemente, com doença incurável, mesmo no hospital a chantageava e mesmo no leito da morte, a agredia psicologicamente.

Como poderá alguém ser tão insensível a este ponto? Que nem no final da vida, aprendeu nada, ou estivesse arrependido.

Teresa com a autora esteve na rubrica "Violência Doméstica" no "Manhã CM"
Teresa, nunca o abandonou, apesar de toda a vida ter sido maltratada. Esteve presente em todos os momentos de agonia e, nem assim conseguiu ter paz.

O marido de Teresa acaba por falecer.

E Teresa fica sozinha com os seus filhos, e com muitas mágoas para a vida.

Porque 35 anos, num casamento de horrores?

Porque como tantas outras vítimas, se continua a acreditar na mudança, que nunca chega...

Porque tem medo de ser morta.

Os filhos, este sentimento de culpa ao olhar para eles, faz com que tenha que continuar naquela mundo, triste e sombrio.

Teresa acabou por ter a paz de uma forma trágica, e triste.

Mais, há uns meses aceitou levantar os restos mortais dele, numa demonstração de coragem única e tudo, em prol dos seus filhos, como até então.

Com que coragem, alguém que foi duramente atraiçoada, agredida e mal tratada psicologicamente tem coração para isto?

Porque foi aquele que viu, e ouviu 35 anos da sua vida, e lhe deu 6 filhos.

No seu inconsciente, Teresa perdoou-o mas, jamais apagará todas as suas marcas.

Teresa tem 60 anos, e ainda tem esperança de ser feliz!

Imprimir


Sem comentários:

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas