O perigo das falsas vítimas


04 JANEIRO 2020



Hoje quero agradecer pelo sucesso da minha Rúbrica na CMTV, às vítimas que até agora tiveram a coragem de dar a cara. 
E às que se libertaram através delas. Agradeço à Carla Veiga, que tanto me apoia nesta nobre causa. 



Miguel, 48 anos, como qualquer ser humano, apenas acreditou no amor, desvalorizando a nacionalidade do mesmo.

Conheceu esse amor em Marrocos, e lá tudo deu certo. 

Mas, tudo mudou numa fração de segundos, quando já casado e a viver em Portugal, a mulher decide engravidar e frequentar uma associação de apoio às mães. 

Desde esse dia, que a vida de Miguel nunca mais foi a mesma. 

A Mulher aprendeu demais... Na associação.



Miguel, 48 anos e um filho, foi vítima de falsa denúncia
E de tudo fazia para chantagear e torturar psicologicamente o Miguel.

De tal forma, que apresentava falsas queixas segundo o mesmo, o que fez com que se tornasse num agressor que, diz, nunca ter sido.

Miguel vivia numa desilusão, por muito que tentasse pelo amor que sentia por ela, não conseguia perdoar este ato.

Com o estatuto de vítima alcançado, a sua mulher consegue proezas imagináveis...

Desde dinheiro na conta, a casas e ajudas várias.

Nada disto deveria ser possível, pois existem vítimas verdadeiras sem ajudas, a sofrer com filhos na rua, e falsas vítimas com todas as regalias.

Os filhos, que é o caso do filho do Miguel, são a arma de arremesso, quando devia ser o centro de todo o amor e apoio dos pais. 

A Justiça está longe de ser a melhor e de ajudar quem, de facto, precisa.

Há muito trabalho a desenvolver, há que controlar criteriosamente as associações, pois existem situações impensáveis... Falsas vítimas com todos os apoios e a prejudicarem o crescimento equilibrado dos filhos, outras que, apenas, por serem pobres lhes tiram os filhos, que são entregues aos agressores e/ou a instituições... Ora, se o estado paga às instituições por cada criança, porque não pagar às Mães, vítimas, para as ajudar, que apenas não têm capacidade económica. Grande parte das vezes por terem dependido dos agressores e ao libertarem-se...lá vem a SS, recolher as crianças. Que estado este...

Imprimir


Sem comentários:

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."