Quando o Amor é cego!


                                        29 NOVEMBRO 2019

Este foi o dia que sonhei, aquele que todos/as sonhamos.

Lembro-me de o/a olhar, como se a beleza não mais acabasse, afinal o amor é cego, e era aquele, que apenas via...

Que bom, era o seu beijo, durante tanto tempo as borboletas esvoaçavam dentro de mim. 

O olhar, como era lindo de cada vez que o/a olhava.

Desde o dia da união, que só o/a via a ele /ela. 

Como o amor é cego... 

Tudo isto junto, e num instante demos largas ao amor e juntos fizemos um, dois, ou muitos seres, que de nada sabiam, ou menos esperavam do que o futuro lhes reservava.

Mas, e como amor é cego, comecei a não entender porque sem razão me gritava, quando eu o/a amava, comecei a não entender, porque me empurrava quando eu só o quis nos meus braços, comecei a não entender, porque me torturava, quando eu só sentia os seus beijos iniciais de loucura, comecei a não entender, porque me batia? Quando, eu só quis as suas mãos à minha volta a fazerem carícias... 

Como amor é cego, e se não conhecermos os sinais, nos pode destruir, assim como à nossa vida.

Ou mesmo acabar com ela. 

Muitas vezes em silêncio sofri, sem saber o que fazer,  por vergonha,  necessidade, ou simplesmente por medo de o/a perder... 

Como o amor é cego.
Imprimir

Sem comentários:

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE