Deixem-me (também) gritar!


13 DEZEMBRO 2019

Carlos 49 anos, foi vítima de violência doméstica durante 5 anos.

Eles também sofrem em silêncio, também são agredidos e maltratados, quer física, quer psicologicamente!

Foi o caso do Carlos, que durante 5 anos, se viu privado do que pensou ser um amor para a vida, sofrendo em silêncio e por amor aos filhos.



Carlos viveu um pesadelo de cinco anos
Desde uma faca apontada ao peito, até a uma cadeira desfeita em cima dele, este homem viveu, segundo ele, na pele a humilhação e os maus tratos constantes.

A ex. mulher dizia-lhe constantemente que não valia nada, que era um fraco, que se deixava bater por uma mulher quando, na verdade, ele não entendia o porquê de tudo, no fundo ele amava-a mesmo assim...

Como é que alguém pode amar, sendo tratado sem dignidade? Pena? Medo? Muitas perguntas sem respostas.

Carlos tem dois filhos, que são o seu maior tesouro, e a sua ex-mulher até isto lhe quis tirar, contando-lhes mentiras, inclusive mentindo à Justiça, pelo que o Carlos conta.

Com declarações que não correspondiam à verdade, ela conseguiu ir para uma casa de acolhimento.



Carlos com a autora esteve esta quinta-feira na rubrica da "Manhã CM" na CMTV
Está acolhida numa associação de apoio à vítima, mas entretanto o processo-crime de violência doméstica em que ela é ofendida foi arquivado, o que, só por si, prova a veracidade da história do Carlos.

Conseguiu ir para a Casa de Acolhimento com os filhos e privar Carlos de contato com os mesmos, sendo obrigado a uma vez por semana viajar de de Tomar para Lisboa para poder estar com os filhos ao sábado (ir e voltar), privou os seus filhos de estarem no Lar, nas escolas, com os avós... Tudo isto baseado nas alegadas falsidades que declarou perante a Justiça.

Tendo cessado o estatuto de vítima, com o arquivamento do processo, continua a  usufruir dos fundos do estado, em prejuízo do Carlos.

Até quando a lei é cega? Até quando se sujeitam crianças a estas situações, sem averiguações imediatas da veracidade dos factos? Até quando...? Até quando se continuará a viver na revolta da escuridão?

Muitos são os inocentes que se silenciam e muitas as vítimas que gritam na mentira!

Sim, eles também sofrem, também choram, também são agredidos e vítimas!

Imprimir


Sem comentários:

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."