Afinal existem guerreiras!


18 JANEIRO 2020

Por vezes, dói-me a alma ao escrever, sinto um vazio, e uma impotência que, por muito que tentasse explicar, não o conseguiria... Questiono - me vezes sem conta, porquê?

Porque raio tem este mundo que ser tão ingrato e cruel para uns? Acabo por ficar-me nas perguntas, sem obter qualquer resposta.

Mónica Santos tem 42 anos, foi interna da Casa Pia de Lisboa. Quase abandonada pelos pais, foi ali colocada pelo progenitor. 

E assim ficou até aos 16 anos e foi por esta altura que conheceu aquele que pensava ser a sua salvação...

Engravida do seu primeiro filho e sai para viver com ele e os sogros. 

Álcool, ciúmes, e obsessão levou a que este seu primeiro companheiro lhe fizesse a vida num inferno. No entanto, como um mal nunca vem só, Mónica voltou a engravidar e, dia após dia, tudo se agravou. 

Sem apoios monetários de mais ninguém, nem psicológicos e com falhas de sinalização das escolas (falha nos apoios estatais), que nunca se apercebem de nada, naqueles filhos, que não pediram para vir ao mundo sofrer... Mas, Mónica tem o apoio da sogra, e farta de sofrer deixou Lisboa e fugiu para o Porto.


Mónica, 42 anos, o exemplo de uma guerreira
Luta, arregaça as mangas e volta à luta.


Quando Mónica pensou que teria renascido, e estava pronta para, finalmente, viver em paz, eis que lhe aparece outra tentação... dois anos depois, voltou a cair no conto do vigário.

Voltou a acreditar no amor, afinal, a pouca estrutura que Mónica teve familiar e no seio familiar, levava-a a procurar nos outros, neste caso no amor da sua vida.

Mas, o príncipe volta a transformar - se em sapo e fez de tudo para a magoar. Embora não lhe deixasse faltar nada, este seu companheiro era do pior, chegava a deixá-la uma semana e ia com amigos para fora, desde noitadas e farras de tudo um pouco, humilhações foram um desgaste nesta relação. Mesmo assim, Mónica teve mais duas filhas e o pesadelo continuou... Este seu companheiro torna-se estranho em relação à filha que Mónica tinha do outro relacionamento, como se esta lhe pertencesse... Foi, inclusivamente, investigado. 

De salientar, que na primeira relação Mónica apresentou queixas, mas nunca nada foi feito.

A segunda teve pena suspensa, mas de nada serviu... Mónica fugiu novamente para Lisboa, e deixou o Porto e tudo que lhe faz mal para trás...

Voltou a renascer...A lutar, e desta vez com 4 filhos.

Pergunto, onde anda a nossa justiça?

É inadmissível tanta falha com as vítimas, que no caso da Mónica merecia ter sido ajudada em todos os cantos possíveis. 

Com isto tudo, tornou-se uma mulher de coragem, resiliência e superação! E acredita que um dia terá a paz que merece. Até lá vive para os seus maiores tesouros: os filhos! 

Imprimir

Sem comentários:

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE