Autoridades investigam ameaças a CASCAIS24 e à liberdade de Imprensa


17 fevereiro 2020
O jornal Cascais24, como órgão de informação que é, pauta-se por uma política de independência, sendo um “jornal digital isento, pluralista e independente, que pratica um jornalismo de proximidade com os cidadãos”, como consta do seu editorial (https://www.cascais24.pt/search/label/Editorial).

No passado dia 16 de fevereiro de 2020, pelas 20h01, este órgão de informação recebeu, através do “Formulário de Contacto ” disponibilizado na página internet do jornal, o seguinte texto anónimo:

Visto que vocês não estão a respeitar o profissionalismo jornalístico, e estão a difamar vários profissionais onde alguns deles são meus amigos e como eu sei o que se passa lá dentro, em nada corresponde a esta porcaria de notícia que acabam de pôr, ou vocês retiram e fazem um comunicado com um pedido de desculpas, ou eu e as restantes equipas espalhadas por este Portugal, iremos iniciar uma campanha de anulação e respectiva destruição de tudo o que for computadores e expomos tudo o que até ao momento temos sobre vocês, senão respeitam e criam falsas notícias e mais grave é estarem a difamar profissionais que vos salvam a vida, como tal eu em nome da minha organização e em nome das teams anonymousPT não iremos permitir nem perdoar, nós não nos esquecemos e não perdoamos, somos a favor sim de trabalho verdadeiro jornalístico e não somos a favor de entidades como vocês que estão a criar e a difamar pessoas que todos os dias dão o seu melhor em prol do nosso município. 24 horas a contar de agora espero bem que tenham noção do que nós sabemos fazer e não tentem a sorte

Cumprimentos



Atendendo à hora do envio da mensagem (20h01), o conteúdo do texto anónimo parece referir-se à notícia publicada às 18h33 desse mesmo dia (16 de fevereiro), sob o título “Coordenadora da Proteção Civil instala relógio de ponto e põe serviço a funcionar 24 horas” – cfr. https://www.cascais24.pt/p/blog-page_999.html . 

Esta noticia publicada no Cascais24, como facilmente se constata pela sua leitura, nada tem de difamatório ou injurioso, limitando-se a referir as alterações introduzidas e o desagrado que se vive atualmente no Serviço Municipal de Proteção Civil de Cascais.

No entanto, o texto anónimo profere diversas ameaças contra um órgão de comunicação, procurando coagir o mesmo a agir da forma que o autor do dito texto pretende e limitar a liberdade de expressão e de informação que são essenciais à democracia e pilar do Estado de Direito Democrático.

O texto anónimo constitui a prática de diversos crimes, nomeadamente contra a liberdade de expressão, contra um órgão de comunicação social e de ameaças e, assim sendo, foi entretanto alvo de queixa-crime.

Contudo, o texto anónimo é, igualmente, uma demonstração do ponto a que está a chegar a tentativa de silenciamento dos órgãos de comunicação social não- alinhados com quem detém o poder no município e o uso do anonimato como forma covarde de tentar intimidar quem não está de acordo com ele (seja camarário, individual, empresarial ou corporativo).

Não o conseguirão! 

Cascais24 não cede a pressões, chantagens e ameaças venham elas de onde vierem!.

Mas não deixa de ser lamentável perceber que a democracia em Cascais está cada dia mais podre!


Valdemar Pinheiro
Jornalista (CPJ nº 376A)
Diretor
Imprimir

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."