DESESPERO. Trabalhadores da Fundação "O Século" estão a passar fome e alguns com ameaças de despejo e sem dinheiro para pagar as contas da água e da luz





Por Redação
29 janeiro 2019
Os trabalhadores da Fundação "O Século", em São Pedro do Estoril, vivem momentos de desespero, com salários em atraso e muitos deles a passar fome e ameaçados de despejo pelos senhorios por não pagarem as rendas e outros com ameaças de cortes de água, luz e gás, denunciou, a Cascais24, uma trabalhadora que pediu o anonimato.

Em causa estão cerca de 50 mil euros a que a Fundação tem direito ao abrigo do programa Escolhas, um projeto no bairro da Galiza e da Torre, em Cascais. Devido a burocracias na Lei do Orçamento, esse pagamento - que deveria ter sido feito até ao final do ano - ainda não foi efetuado. Além disso, a Fundação também se candidatou ao Fundo de Socorro da Segurança Social, cuja candidatura continua em análise.

“Sou uma trabalhadora da Fundação o Século, estamos com ordenados em atraso existem colegas minhas que, inclusivamente, receberam cartas dos senhorios onde moram a renunciarem o contrato de arrendamento por falta de pagamento, estão a existir situações que nenhum ser humano merece passar, algumas vão para o trabalho a pé porque não tem dinheiro para os transportes", denuncia, emocionada, esta trabalhadora.

"inclusivamente, alguns já não tem luz e outros estão com avisos de corte de água,  luz e gás, tudo isto em grande parte provocado segundo se sabe por decisões anteriores que estão a levar à queda de toda a obra social que a Fundação sempre desempenhou”, acrescenta esta trabalhadora.

Sem comida na mesa!



“Grande parte dos funcionários não tinham comer para pôr nas suas mesas para as suas famílias, mas a administração disponibilizou-se para levar-mos comer da Fundação”, acrescenta, não sem agradecer, mas recorda que “as contas da água, luz, transportes e etc para o dia a dia de cada família é feito com o trabalho que depois é pago com o ordenado, coisa que nós na Fundação não temos".

Em dezembro último, os trabalhadores apenas receberam o equivalente a 35% do ordenado!

Os trabalhadores da Fundação “O Século” endereçaram, entretanto, uma carta ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, onde pedem para o chefe de Estado ajudar a"desbloquear" as ajudas no Estado para poderem receber o ordenado do mês de Dezembro.
"Nós, trabalhadores da Fundação O Século reconhecemos o profundo esforço da racionalização que tem vindo a ser feito e que teve como principal consequência o despedimento de um terço dos trabalhadores em prol de um equilíbrio económico já alcançado. No entanto, a realidade financeira é outra, marcada pelas dificuldades de tesouraria resultantes da dívida herdada a fornecedores (750 mil euros) e da anulação de receitas futuras. Ora, estas dificuldades ainda são agravadas por falta de ajuda de quem menos esperávamos, o Estado, impedindo o pagamento do ordenado do mês de Dezembro", lamentam na carta enviada a Marcelo Rebelo de Sousa.

Entre os destinatários dos apelos dos trabalhadores em desespero estão também o primeiro-ministro, António Costa, e os ministros das Finanças, Mário Centeno, e Vieira da Silva, da Solidariedade e Segurança Social. "Esta carta, este apelo tem como objetivo relembrar todo o trabalho e vasta obra que é desempenhada e realizada por pessoas, equipas que diariamente veste a camisola e que sentem a magia e um amor incondicional por esta instituição, a Fundação O Século", concluem.
Recorda-se que a Polícia Judiciária (PJ) e o Ministério Público (MP) estão a investigar a anterior administração da Fundação "O Século", liderada por Emanuel Martins, por suspeitas de contratação indevida de familiares e amigos e de uso de dinheiros públicos para fins privados. 


Imprimir

3 comentários:

Anónimo disse...

triteza

Fábio Fragoso disse...

Se estiverem á espera dos gandulos do governo estão tramados

Anónimo disse...

(...)Emanuel Martins e Isaltino Morais, sobretudo depois de se terem tornado “irmãos” da mesma loja maçónica"....

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas