MULHER de Zelensky fez parar o trânsito em Cascais

ATUAL


Por REDAÇÃO
02 novembro 2022 | 19h50

A visita de Olena Zelenska, a primeira-dama da Ucrânia, esta quarta-feira, de manhã, ao centro de acolhimento de refugiados, em Cascais, causou sérios transtornos a milhares de automobilistas que, devido a apertadas medidas de segurança, viram os seus itinerários alterados.

Os maiores constrangimentos foram registados na avenida de Sintra, onde está situado o centro de acolhimento, com os automobilistas que desciam esta artéria na direção de Cascais a serem desviados para as Fontainhas e os próprios autocarros a terem que circular pelas ruas paralelas.

Um autêntico caos, que provocou enormes filas de trânsito e transtornos a quem pretendia entrar em Cascais através da avenida de Sintra, com um forte contingente policial a controlar o tráfego, com a agravante de tratar-se de um dos principais dias do mercado de Cascais. 

Na visita ao centro de acolhimento, Olena foi acompanhada do presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, e pela vereadora municipal Carla Semedo. 

No centro de acolhimento, a mulher do presidente da Ucrânia deixou mensagens de esperança às mulheres e crianças, suas compatriotas.

Na oportunidade, Carlos Carreiras revelou que, "neste momento, à nossa responsabilidade, estão 175 refugiados" que, em breve serão abrangidos pelo pacote social muito forte, também destinado aos cascalenses" no âmbito das medidas de combate à crise. 

Até 24 de outubro último, de acordo com dados a que Cascais24Horas teve acesso, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) tinha atribuído 3.281 proteções temporárias a cidadãos ucranianos em Cascais.

Depois de Lisboa, Cascais é o segundo município do País com maior número de proteções atribuídas.








Sem comentários:

Publicação em destaque

SISMOS o que fazer...

DICAS PREVENTIVAS |  Com o mais recente evento sismológico da Turkia e na Síria a pergunta que devemos fazer é se nós os Portugueses estamos...

FOI NOTICIA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA