Morte de engenheiro em bagageira de carro no Cabreiro “não teve intervenção de terceiros”, garante a Cascais24 fonte da PJ

SEGURANÇA

JUDICIÁRIA afasta em definitivo suspeita de homicídio na morte de engenheiro encontrado na bagageira de carro no Cabreiro
01 abril 2021 | 20h36
A morte de José M.A, 37 anos, engenheiro, que vivia na Madorna, na freguesia de São Domingos de Rana e cujo corpo foi encontrado esta segunda-feira na bagageira de um veículo, no Cabreiro, Alcabideche, “não teve a intervenção de terceiros”, confirmou, esta quinta-feira, a
Cascais24, fonte da Direção Nacional da Polícia Judiciária (PJ).

“A autópsia, realizada no Gabinete Médico Legal da Guia, aliada aos vestígios encontrados pelos peritos da PJ, que encontraram no carro algumas substâncias medicamentosas, constituem elementos que afastam, por completo, qualquer suspeita de homicídio”, assegurou a mesma fonte.

Recorda-se que a vítima apresentava sinais de alegadas múltiplas agressões, sobretudo ao nível do rosto, detetados por ocasião da descoberta do corpo, que poderiam "indiciar morte violenta", mas que agora, depois da autópsia, são atribuídas à "evolução post-mortem", conforme Cascais24 avançou entretanto. 

NOTICIA exclusiva Cascais24 há dois dias previa o desfecho do mistério

A vítima, recorda-se, apresentava os olhos negros, sangue no nariz e alguns hematomas na face.

O homem tinha antecedentes suicidas e, inclusivamente, alguns internamentos em ala psiquiátrica de uma unidade hospitalar, de acordo com o que Cascais24 avançara entretanto

A última vez que o homem foi visto com vida junto à sua viatura, marca "Renault" Megane, terá sido na quinta-feira passada, quando o dono de uma oficina de automóveis próxima o abordou, perguntando "se estava tudo bem", ao que ele terá retorquido que "sim".

O corpo foi descoberto esta segunda-feira, à tarde, depois de ter sido constatada a sua presença na bagageira do carro. 

Já no local, as autoridades tiveram que quebrar o vidro traseiro da viatura para acederem ao interior e observarem o corpo.

O óbito foi confirmado pelo médico da VMER do Hospital de Cascais, situado muito próximo do local e, curiosamente, a cerca de 100 metros do sítio onde em julho do ano passado foi encontrado o corpo de Francisca do Nascimento Rosário Fernandes, 66 anos, desaparecida depois de alta hospitalar.

Antes, porém, a pedido da GNR de Alcabideche, peritos do Laboratório de Polícia Científica e inspetores da Secção de Homicídios da PJ efetuaram a recolha de vestígios, quer na viatura, quer na área envolvente ao local onde estava estacionada.

Noticia relacionada

+ Judiciária poderá afastar suspeita de crime no caso de engenheiro encontrado morto na bagageira de carro no Cabreiro




Sem comentários:

Publicação em destaque

O regresso ao escritório pós-Covid: modelos e medidas a adaptar

TRABALHO .  O teletrabalho deixou de ser obrigatório desde o dia 1 de agosto em Portugal. A medida estava em vigor desde janeiro deste ano, ...

FOI NOTICIA

BLOGS