Monte Estoril mais pobre com demolição do que restava do Hotel Miramar

ATUAL

TORREÃO era o que restava do antigo Hotel Miramar

Por REDAÇÃO
25 fevereiro 2021 | 16h55

O torreão que restava do antigo Hotel Miramar (inicialmente, Chalet Almeida Pinheiro) foi demolido até ao solo, nada mais restando do que um terreno despido. A memória histórica do lugar foi, assim, arrasada, nada mais restando do edifício construído em 1899 e que marcou toda a história do Monte Estoril e de Cascais.

“O Monte Estoril está a perder a identidade que, durante mais de um século, o tornou uma das localidades mais bonitas de Portugal”, lamenta, a propósito, um morador, profundo conhecedor da história do Monte Estoril que, nas últimas semanas viu, só junto à Avenida Marginal, três espaços perderem definitivamente o caráter e as características que tiveram ao longo do último século.

“Se é verdade que, depois do incêndio que o destruiu em 1975, no local só restavam ruínas, é incompreensível que a Câmara Municipal de Cascais tenha permitido a destruição do que restava daquele lugar simbólico”, acrescentou. 

CHALET Almeida Pinheiro deu lugar ao Hotel Miramar

Já em 2019, o vereador municipal João Aníbal Henriques a propósito do Hotel Miramar, relembrou: “Passaram-se muitas décadas desde que o Chalet Almeida Pinheiro desapareceu fisicamente da praxis urbana monte estorilense. Mas a pujança da sua força, o carácter enorme do seu torreão e o enquadramento cénico dos seus muros ancestrais, sobreviveu até hoje, mostrando que mais do que a sua funcionalidade, é a sua presença física que serve de fulcro identitário maior da comunidade onde se insere. Apesar do estado avançado de ruína, ele continua a fazer parte da estrutura cénica do Monte Estoril que ainda temos”.

Agora, com a demolição do torreão, nada resta e, de acordo com um cartaz de obra afixado no local o que restava de um ex-libris do Monte Estoril vai dar lugar a um edifício com quatro pisos e uma fachada de 15 metros de altura.

A destruição e perda de identidade do Monte Estoril em nome de um progresso e desenvolvimento urbanístico algo duvidoso tem sido flagrante nos últimos anos. 

VILA Baía, outro ex-libris desaparecidos no Monte Estoril

A Vila Baía, situada ao lado do que foi o Bauhaus e em frente ao então Hotel Atlântico (hoje, Intercontinental) foi outros dos ex-libris desaparecidos. Depois de, estranhamente, nos últimos anos a magnífica Vila ter uma aparência abandonada, tiveram início, recentemente, obras que destruíram a harmonia das suas dimensões e estão a alterar totalmente as características da mesma, nada mais restando do que parte de duas das quatro paredes, estando a mesma a ser alargada para os lados e para a frente e nada existindo do jardim que a rodeava.

POUCO a pouco o Monte Estoril que sempre conhecemos vai desaparecendo

Ao contrário do que o presidente da Câmara, Carlos Carreiras, afirmava há uns meses sobre a recuperação da mesma, é evidente que a Vila Baía futura nada terá a ver com aquela que constituía um dos cartões de visita da entrada de Cascais e que ajudava a manter ainda a aura e a memória da época de ouro do turismo em Cascais.

Finalmente, um pouco mais à frente, onde existia um enorme espaço verde e umas moradias com piscina entre a vegetação frondosa, está cavado um enorme buraco e colocado um estaleiro de obra, sem que, no entanto, no local exista qualquer cartaz afixado sobre os trabalhos em curso ou o que irá surgir. 

No entanto, pelas dimensões das escavações, a obra parece vir também a desvirtuar aquela que foi a imagem do Monte Estoril durante décadas, tanto em termos arquitetónicos, como de paisagem natural e espaços verdes, arrasada como está toda a área ajardinada que o terreno possuía. 

VERMELHO assinala as transformações que o Monte Estoril tem sofrido nos últimos anos em nome de um progresso e desenvolvimento urbanístico que o tem descaraterizado



 

 


2 comentários:

Da Serra disse...

E o malandro do José Luís Judas, a descaracterizar Cascais.
Então na vila...

Unknown disse...

Só um esclarecimento, o cartaz afixado não diz que vai ser construído um edifício com 15 metros de altura e quatro pisos, MAS APENAS E SÓ, DAAVA NOTÍCIA DA DEMOLIÇÃO DO EDIFÍCIO/TORRE COM QUATRO PISOS E QUATRO PISOS DE ALTURA!

Convém haver mais rigor.

Projeto não existe ainda, apenas um PIP com dois edifícios de habitação com 12 metros de fachada, a mesma altura do que os edifícios de habitação circundantes.

Cumprimentos

Publicação em destaque

TRIPULANTE russo de navio mercante resgatado depois de queda a bordo

Um cidadão de nacionalidade russa, 55 anos, tripulante de um navio mercante de pavilhão de Antígua e Barbuda, foi resgatado esta segunda-fei...

FOI NOTICIA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA