Quando o vício é mais forte que o Amor

                                                            08 NOVEMBRO 2019
Foi o caso de Alesya, de 35 anos de idade que acreditou naquele amor, ao ponto de trocar o conforto da sua família,a sua terra natal, para o viver...

Mas, a sua vida em vez de se tornar num conto de fadas, tornou-se num enorme pesadelo, pois foi-lhe escondido o vicio do jogo.

Alesya lutou e venceu!
Tudo se modificou na vida de Alesya assim que descobriu o vicio do seu marido, e as suas implicações, dividas, passou de um conto encantado para um filme de terror.


Passou a viver e a experienciar a violência física e psicológica, diariamente, num país que não é o seu, sem apoio familiar.

Alesya, apesar de tudo tentou salvar o seu casamento, transformar o agressor em príncipe, em vão, pois o vicio do jogo era mais forte que a vontade dele. 

Findas as tentativas e sem resultado, tendo-se mantido o padrão das agressões físicas e psicológicas, Alesya arranjou coragem e abraçou-se à vida com o filho. 

Fê-lo, mesmo com todas as contrariedades e dificuldades da vida, sem casa,que lhe foi retirada, sem documentos e com um filho.

Lutou!
Venceu!

Hoje, apesar de magoada e com cicatrizes, Alesya quer ajudar as mulheres que como ela sofrem em silêncio, mostrar-lhes que a vida as pode surpreender e que ainda podem ser felizes!

Outros casos de MADALENA SILVA
+ O medo impede o caminho para a liberdade 
Imprimir

Sem comentários:

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas