“COLARINHO BRANCO”. PJ investiga negócios entre Câmara e Marina

Exclusivo



21 Fevereiro 2020

A Polícia Judiciária (PJ), através das Unidades Anticorrupção e de Informação Financeira, está a investigar a forma como o cidadão brasileiro Benjamin Katz, sobre quem pendem alegações noticiadas na imprensa brasileira que o envolverão em lavagem de dinheiros, adquiriu as ações da MarCascais, concessionária da Marina, bem como o acordo entre esta sociedade concessionária e o município de Cascais, apurou Cascais24.

Inspetores da Brigada Anticorrupção estiveram há dias nos Paços do Concelho e outros da Unidade de Informação Financeira (UIF) na própria Marina a recolher informação para o inquérito em curso, que estará a ser dirigido pelo Departamento Central de Investigação de Ação Penal (Diapão).

No entanto, a presença dos inspetores de ambas as unidades não foi confirmada nem desmentida a Cascais24 pela PJ.

O nome de Benjamin Katz tem surgido frequentemente nos últimos anos na Imprensa brasileira, como estando alegadamente envolvido em processos financeiros polémicos naquele país, nos quais funcionaria como “testa de ferro”.

Porém, as autoridades, nomeadamente a Polícia Federal, ainda não terá logrado acusar Benjamin Katz dos alegados ilícitos financeiros de que é suspeito.

O próprio Benjamin Katz terá mesmo processado a Google, que foi forçada pela via judicial a eliminar da internet o seu nome por o dar como alegadamente implicado em crimes financeiros no Brasil.

O cidadão brasileiro adquiriu a Marina de Cascais em 2013.

Em julho do ano passado, ao lado do presidente Carlos Carreiras, esteve presente no IV Encontro Fora da Caixa, Economia = Mercado x (Conhecimento & Cultura), centrado na análise dos temas do urbanismo e das cidades do futuro, que decorreu no Centro de Congressos do Estoril.

Benjamin Katz afirmou, então: “"A legislação portuguesa não é má. O que é ruim é a burocracia. É algo que tem que ser ultrapassado".

O empresário parece estar fortemente apostado em investir em Cascais.

A própria mulher, Priscila Szafir, irmã gémea do ator brasileiro Luciano Szafir (ex-marido da apresentadora Xuxa) é proprietária e designer das jóias Pricci, que abriu no antigo posto de turismo, em Cascais, uma joalharia com a sua marca, além de ter pontos de venda em vários hotéis de luxo.



Imprimir




MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."