Mais de 6000 atletas na maratona que parte este domingo de Cascais

Desporto




Mais de 6.000 atletas participam na 5.ª EDP Rock'n'Roll Maratona de Lisboa que, este domingo, de manhã, tem a partida prevista do Hipódromo Manuel Possolo, em Cascais, termina no Terreiro do Paço, no centro da capital. São 42,2 km no tempo máximo de seis horas.

Este ano a maratona conta com votos renovados de prestígio e excelência, desta vez por parte da Revista Forbes, que, conforme revelou Carlos Móia, responsável pela organização Maratona Rock'n'Roll de Lisboa, a considerou “umas das 12 melhores do mundo”. Juntam-se ainda o destaque do “American Express” que classifica a prova “como umas das 19 melhores do mundo.

Reconhecendo o apoio dos apoios e patrocinadores, entre os quais a Câmara Municipal de Cascais, Carlos Móia considerou que "têm sido uma ajuda inexcedível, pois há realmente dificuldades, mas tentamos melhorar as coisas. São anos difíceis, mas têm sido inexcedíveis". 

A par com outros grandes eventos mundiais de atletismo e com a classificação “Golden Marathon” a EDP Maratona de Lisboa consegue passar, através do desporto, imagens que viajam mundo foram, contribuindo para potenciar a região enquanto destino turístico. O percurso vai ligar municípios de Cascais, Oeiras e Lisboa, terminando em ambiente de festa no Terreiro do Paço.

Asseguradas estão as presenças do queniano Alfred Kering e do etíope Seboka Dibaba Tola, um dos favoritos à vitória, e do vencedor deste ano da maratona de Milão (Itália), o queniano Edwin Kipngetich Koech, e do vencedor da maratona de Estocolmo (Suécia), o etíope Abrha Asefa. 
No lado feminino, destaque para a portuguesa Doroteia Peixoto, que este ano triunfou na maratona de Dusseldorf, na Alemanha, e de Koren Jelila Yal, da Etiópia, que tentará superar o recorde de 2:24.13 horas alcançado no ano passado pela queniana Sarah Chepchirchir.      

A partida, às 8h00, terá lugar em Cascais na Av. da República, junto ao Hipódromo Manuel Possolo. Os atletas seguem pela Av. Diana Spencer e Estrada do Guincho, em direção ao Guincho, sempre no sentido do trânsito, invertendo o sentido da corrida junto ao Farol do Cabo Raso. Os atletas regressam a Cascais pela Av. Rei Humberto II de Itália, Av. Dom Carlos, Alameda Combatentes Grande Guerra, onde seguem até entrar na Marginal, seguindo em direção a Lisboa, estando o trânsito condicionado até ao Terreiro do Paço. O trânsito será reaberto gradualmente ao longo do percurso depois da passagem dos atletas e de operações de limpeza. 

Em Cascais, na estrada do Guincho |o trânsito está cortado, entre as 7h30 e 11h00, a partir da Rotunda Comendador Joaquim Baraona, Av. Diana Spencer e Estrada do Guincho, até ao Farol do Cabo Raso.

Também nas Avenida Rei Humberto II de Itália, D. Carlos I e Alameda dos Combatentes da Grande Guerra haverá corte total do trânsito, entre as 7h30 e as 11h00, entre a Rotunda Comendador Joaquim Baraona e a Rotunda João Paulo II (Centro Cultural de Cascais), Av. Rei Humberto II de Itália, Av. Dom Carlos, Alameda Combatentes Grande Guerra e Praça Sá Carneiro até entrar na Av. Marginal rumo a Lisboa.
                        
Já avenida Marginal Cascais-Carcavelos o trânsito vai estar cortado nos dois sentidos, entre as 7h30 e as 12h00, reabrindo depois da limpeza que sucede à passagem dos atletas.


Sem comentários:

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE