COVID19. Tratolixo confirma 30 casos positivos em trabalhadores de Trajouce

COVID19

Por Valdemar Pinheiro
23 outubro 2020
A administração da Tratolixo confirmou a existência de 30 trabalhadores infetados por Covid19 no Ecoparque de Trajouce, que estão de quarentena nas respetivas habitações e garante está assegurado o pagamento integral de salários, estando a situação a ser acompanhada pela Autoridade de Saúde de Cascais.

Segundo uma nota assinada pelo presidente do Conselho de Administração da empresa intermunicipal de capitais integralmente públicos e antigo diretor na Câmara Municipal de Cascais, “no sentido de controlar a expansão desta pandemia na TRATOLIXO, o Conselho de Administração tem decidido implementar medidas de mitigação de contágio e propagação do contágio de COVID 19, disponibilizando todos os meios de protecção aos colaboradores e investindo em todos os equipamentos e infra-estruturas necessárias”. 

João Pereira Teixeira
Ainda de acordo com o presidente do Conselho de Administração, João Pereira Teixeira, “está em obra a duplicação da área do refeitório, e dentro de poucos dias, estará concluída, a automação das principais portas exteriores. Foram adquiridos mais equipamentos de desinfecção para não estarmos dependentes da capacidade de intervenção de empresas externas”.

Antigo diretor municipal na Câmara Municipal de Cascais e  presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR LVT), João Manuel Pereira Teixeira, engenheiro civil, tomou posse como presidente do Conselho de Administração da Tratolixo em maio do ano passado no final de uma assembleia geral realizada em Trajouce.

Em junho, a Tratolixo registou um caso assintomático e, segundo João Pereira, “nesse contexto, a tratolixo entendeu promover a realização de testes serológicos à COVID-19 de forma gratuita e facultativa, extensível a todos os seus colaboradores e entidades externas que contactavam com os nossos trabalhadores”.

Três testes despoletam surto

À data, os resultados foram todos negativos, mas há cerca de semana e meia foram registados três casos positivos no Ecoparque de Trajouce, tendo a empresa decidido realizar testes por PCR a todos os colaboradores, assim como a todos os colaboradores de outras empresas que prestam serviço no Ecoparque.

Os resultados dos testes apresentaram 30 casos positivos que, ainda segundo a Tratolixo, “entraram de imediato em quarentena”, depois de “reportados à Saúde24”.

A empresa intermunicipal assegura que, “como medida de prevenção, quando um colaborador apresenta sintomas de infecção, e tem familiares, que são igualmente colaboradores da Tratolixo, são todos dispensados do trabalho com garantia de pagamento integral de vencimento e demais regalias” e garante que tem “cumprido toda a legislação e recomendações da APA, ERSAR e DGS e tem mantido um conjunto de medidas complementares de segurança e saúde que visam maximizar a segurança e saúde dos colaboradores”.

Integram a empresa intermunicipal os municípios de Cascais, Oeiras, Mafra e Sintra.

Presidente de Cascais desconhecia

O presidente da Câmara Municipal de Cascais, uma das acionistas da Tratolixo, desconhecia até há dias o surto de Covid19 no Ecoparque, em Trajouce, segundo o próprio Carlos Carreiras terá alegado ao ser interpelado, a propósito, pelo vereador do PCP Clemente Alves.

O chefe do executivo de Cascais terá afirmado “desconhecer qualquer foco de contaminação na empresa e, por essa razão, nada poder dizer”.

Segundo a concelhia do PCP de Cascais, “tendo a Câmara responsabilidades na empresa que não deverão permitir o desconhecimento de tão grave ocorrência” e depois de insistência do vereador comunista  “para que a Câmara tomasse medidas no sentido de verificar a existência e aplicação do Plano de Contingência e Defesa contra o Covid19”,  o presidente da Câmara “tentou desresponsabilizar-se, afirmando que não compete à Câmara vigiar a existência de tal Plano, quer na Tratolixo, quer em outras empresas do Concelho, pois isso é incumbência das autoridades de saúde”.

Carlos Carreira terá, porém, prometido levar a matéria à próxima reunião de acionistas da Tratolixo - empresa que abrange uma área geográfica de 753 Km² e presta serviço a mais de 860.000 habitantes nos concelhos de Cascais, Oeiras, Mafra e Sintra.



 

 

 

 

 

 










Sem comentários:

NOTÍCIAS MAIS LIDAS nos últimos 7 dias