COVID19. Andam a assaltar máquinas de máscaras para roubar cofre do dinheiro

COVID19

Por EMANUEL CÂMARA
15 julho 2020
Numerosos dispensadores automáticos de máscaras cirúrgicas no âmbito da COVID19 têm sido alvo de assaltos, que tem como alegado móbil o furto dos pequenos cofres que contêm as moedas de 1 € com que são adquiridos aqueles meios de protecção individual.

Os crimes têm sido praticados um pouco por todo o concelho da Costa do Sol, segundo apurámos junto da autarquia, sendo a empresa municipal "Cascais Próxima" responsável por aqueles equipamentos.

Um dos assaltantes chegou a ser filmado por uma câmara de vídeo-vigilância a atacar vários equipamentos no Monte do Estoril, não se tendo coibido de furtar embalagens de máscaras, algumas das quais destruiu e espalhou pela via pública.

Fonte da Polícia Municipal, que classificou estas ocorrências como “actos de vandalismo”, adiantou que os ataques terão sido praticados pela calada da noite, quando há menos movimento nas ruas.

Todavia, alguns dos assaltos ocorreram em pleno centro da vila de Cascais, nomeadamente defronte da fachada da estação de comboios, afectando os dois dispensadores de máscaras ali colocados. Um destes equipamentos fica ao mesmo lado da praça de táxis, que funciona 24 horas por dia, junto de uma rotunda muito movimentada que dá acesso a uma zona comercial e de restauração. 

Também não escapou um dispensador colocado junto da Loja do Cidadão, em cujo edifício funciona uma estação dos correios, entre outros serviços públicos. No Estoril, a dois passos do Casino, também foram assaltados dois dispensadores, um deles colocado igualmente defronte da estação ferroviária local, e o outro no corredor de acesso à praia do Tamariz.

“Por motivos de vandalismo este equipamento está fora de serviço”. Esta informação, com letras maiúsculas, está afixada em muitos dos equipamentos assaltados. Todos foram selados com plásticos de cor preta e alguns estão vedados com fitas da Polícia Municipal para isolar e preservar o local do crime.

Os dispensadores assaltados fazem parte dos 44 que já tinham sido postos a funcionar nas freguesias de Cascais-Estoril, Alcabideche, Carcavelos-Parede e S. Domingos de Rana.

Recorda-se que estes equipamentos fazem parte do programa “Máscaras Acessíveis”, que a câmara lançou tendo como um dos objectivos “quebrar os movimentos especulativos do mercado, em que as máscaras estão a ser transaccionadas a 2€ a unidade”.


Ao todo, está prevista a instalação de 400 máquinas de venda automática com pacotes de quatro máscaras ao preço de 1 €, ou seja 25 cêntimos por cada unidade.

Esta medida vem juntar-se à iniciativa “Máscaras Gratuitas em Transportes Públicos”, disponibilizadas em todas as estações de comboio e nos principais pontos de ligações rodoviárias do concelho enquanto o seu uso se mantiver obrigatório.

Para além de ter cedido 850 mil máscaras de protecção a instituições de solidariedade social, e outras entidades, que as disponibilizam aos munícipes a valores inferiores aos que são praticados no mercado, a câmara diz que tem capacidade para produzir e distribuir máscaras pela população do concelho, depois de ter adquirido duas máquinas para fabricar este material de protecção individual por 250 mil euros cada a uma empresa chinesa. 

O município prevê produzir cinco milhões de máscaras por mês.



1 comentário:

Unknown disse...

é de lamentar uma iniciativa louvável ser atacada desta maneira.
Deixo aqui a minha indignação é simplesmente lamentável.
Carlos Ferreira

DESTAQUE.

Liberais alertam para degradação e abandono da Bataria de Parede

ABANDONO.   O Núcleo Territorial de Cascais da Iniciativa Liberal (IL Cascais) alertou, em comunicado, para “a crescente degradação e abando...

+ populares