JOSÉ D`ENCARNAÇÃO ELEITO PRESIDENTE DA MISERICÓRDIA DE CASCAIS

Por Cascais24

12.01.2016
José d`Encarnação assumiu esta terça-feira o cargo de presidente da Assembleia Geral da Santa Casa da Misericórdia de Cascais, substituindo, no cargo, o juiz conselheiro Armando Leandro. No cargo de provedora foi reconduzida Isabel Miguens.
A tomada de posse dos novos corpos sociais para o quadriénio de 2016/2019 teve lugar na Igreja da Misericórdia e contou com a presença de autarcas locais e várias personalidades.
Os idosos e o equilíbrio financeiro serão, entre outras, duas das principais prioridades dos corpos sociais nos próximos quatro anos.
A cerimónia de tomada de posse foi aproveitada para dar conta do panorama social do concelho, reflectido nas obras que a Santa Casa tem a seu cargo, nomeadamente creches, jardins de infância, lares da terceira idade, centros de dia, e actividades como ATL (para jovens), assistência domiciliária e distribuição de refeições.
Foi, ainda, sublinhado “o relevante e pioneiro papel que a Misericórdia vem desempenhando na integração social de pessoas cativas de várias dependências, designadamente através da Fundação para o Estudo, Prevenção e Tratamento da Toxicodependência”, não sem deixar de lembrar, também, o trabalho que está a ser “desenvolvido no Centro Social do Pisão, que alberga utentes com as mais variadas carências psíquicas”.
 
Por parte dos novos corpos sociais da Misericórdia de Cascais ficou o compromisso de que esta instituição, fundada em 1551, “continuará a dar o seu contributo na atenuação das assimetrias que um concelho como o de Cascais naturalmente evidencia”.
Depois da Câmara Municipal e das suas empresas municipais, a Santa Casa da Misericórdia de Cascais é o segundo maior empregador do concelho, com cerca de 600 trabalhadores nas suas várias valências.

 

UM GRANDE CIDADÃO DE CASCAIS

José d'Encarnação, 71 anos, o novo presidente eleito da Assembleia Geral e que, nos últimos dois mandatos, exerceu o cargo de vice-presidente, licenciou-se em História pela Faculdade de Letras de Lisboa, em 1970. Dois anos depois, no Museu Nacional de Arte Antiga (Lisboa), concluiu o Curso de Conservador de Museus.
Foi, ainda, neste mesmo ano, na Faculdade de Letras de Lisboa, que completou o Curso de Ciências Pedagógicas. Doutorou-se em História na Universidade de Coimbra, na especialidade de Pré-História.
Em 1991, foi nomeado Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Nesta universidade exerceu várias funções: Presidente do Conselho Pedagógico da Faculdade de Letras (1984-1986); Presidente da Comissão Científica do Grupo de História (1992-93); membro do Secretariado do Curso de Especialização em Assuntos Culturais no Âmbito das Autarquias (desde 1989) e Coordenador geral, na Faculdade de Letras, dos programas Sócrates/Erasmus.
Foi director do Instituto de Arqueologia, entre 2002 e 2004, da Universidade de Coimbra e dirigiu a revista Conimbriga. 
Para além de integrar o conselho consultivo de várias publicações, nacionais e estrangeiras ligadas à arqueologia, é responsável, juntamente com Guilherme Cardoso, pelo estudo da Villa Romana de Freiria, em S. Domingos de Rana, e pela investigação da ocupação romana no concelho de Cascais.
 
Figura respeitada e admirada pelos cascalenses, que o consideram um Grande Cidadão de Cascais, José d`Encarnação foi agraciado com a medalha de mérito municipal de Cascais, em Julho de 1994, e recebeu do Rotary Club de Cascais/Estoril o diploma de Mérito Profissional Rotário, em 2000.
A par de outras actividades de relevo, em Cascais, o professor catedrático foi um dos colaboradores pioneiros do extinto, há muito, Rádio Clube de Cascais e, também, do histórico semanário “Jornal da Costa do Sol”, também extinto.
José d`Encarnação, que também é jornalista, titular da Carteira Profissional n.º 4.768,  encontra-se na situação de aposentado desde Julho de 2007.
Quem o quiser seguir, pode fazê-lo através do seu blog, “Notas e Comentários”, em http://notascomentarios.blogspot.pt/
 
 

Sem comentários:

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."