Português conquista terceiro lugar no pódio do Ironman de Cascais

Desporto

Triatleta Filipe Azevedo (Foto Federação Portuguesa de Triatlo)
Por Redação
29 setembro 2019

O triatleta português Filipe Azevedo, que vive no Dubai, conquistou o terceiro lugar no pódio do Ironman 70.3, que teve lugar este domingo na Costa do Sol portuguesa.

Já há um ano, o triatleta luso havia conquistado o terceiro lugar na mesma competição.

O grande vencedor, este ano, foi o estreante espanhol e pentacampeão mundial de triatlo, Javier Noya.

Javier, 36 anos, ficou à frente do francês Dylan Magnien e do português Filipe Azevedo, ao completar o percurso de 1,9 quilómetros de natação, 90 de ciclismo e 21 de atletismo, que passou por Cascais, Oeiras, Lisboa e Sintra, em 3:51.11 minutos, menos 4.32 minutos do que o gaulês e segundo classificado.

"Senti-me bem em toda a prova. Cometi um erro no percurso de ciclismo, enganei-me e fiz um quilómetro a mais, mas consegui retificar, mantive-me concentrado e estive bem no atletismo para fazer uma boa prova. Não era um percurso fácil, sobretudo a segunda parte do ciclismo, que era muito complicada, mas poupei forças no princípio para apertar nas zonas mais duras do percurso", afirmou Javier Noya, no final das provas.

Por sua vez, Filipe Azevedo, o melhor português em competição, cortou a meta em terceiro lugar, ao cabo de 3:56.48, e, apesar de ter repetido o feito de 2018, ambicionava melhor performance em Cascais.

"Este ano tinha como objetivo lutar por uma posição melhor. Sabia que o Javier Gomez Noya é um dos melhores atletas do mundo e seria complicado ganhar-lhe, mas também sabia que, fazendo uma boa prova, podia alcançar o segundo lugar. Tinha tudo bem encaminhado para isso, mas, no início do percurso de ciclismo, perdi toda a minha nutrição. E quando comecei a correr, à passagem dos 10 quilómetros, comecei a sofrer por causa disso e foi tentar aguentar até ao fim", contou.

Apesar do percalço e de não ter conseguido concretizar o objetivo inicial, Filipe Azevedo mostrou-se "muito feliz por ser o melhor português" em prova. "O terceiro lugar outra vez é um bom resultado final", concluiu o atual vice-campeão da Europa de média distância e campeão do Ironman 70.3 de Xangai, na China, em 2018.

Entre as senhoras, a britânica Ema Pallant conquistou o primeiro lugar do pódio, ao concluir a prova em 4:18.21 horas, com uma confortável vantagem sobre a espanhola Anna Noguera, segunda classificada com 4:27.52.

O terceiro lugar ficou na posse da alemã Anna-Lena Pohl, com 4:36.41 minutos, enquanto Vanessa Pereira, a melhor portuguesa em prova, terminou na sétima posição, com 4:55.48.
Imprimir

2 comentários:

Anónimo disse...

Esta competicao interessa a quem ? Estradas fechadas, pouco ou nhenhum publico , zero interesse ... como municipes nao temos que aturar isto ... esta na altura de ir para outros lados ...
Ou existe dingeuros publicos da camara metido nisto ?

Anónimo disse...

Anonimo disse:

Confirmo e concordo plenamente com o comentário precedente que se insurge contra este tipo de manifestações publicas, que só interessam a um numero restrito de municipes e que alteram a vida de todos os demais, que se vêem privados de circular normalmente pela vila.
Há outros lugares onde é possível disfrutar de espaço suficiente para não incomodar ninguém, como por exemplo a zona ao redor do Estádio nacional ou inclusivé outras mais para o interior, o que certamente seria de bom grado para todos.

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE