HARLEY DAVIDSON: Indignados esperam que Baixa de Cascais não volte a ficar “refém” de “autoritarismo” municipal

Atual

                                                                                                                                                  (Fotos Cascais24)
Por Redação17 junho 2019
No rescaldo do 28º Encontro Europeu Harley Davidson que animou durante três dias Cascais, as opiniões dividem-se entre o sucesso que foi este evento, que contou com a participação de cerca de 20.000 motas, oriundas de 32 países, trazendo, alegadamente, para a região, um retorno financeiro de 15 milhões de euros, e os transtornos causados pelas restrições à circulação rodoviária, sobretudo na baixa da vila, em que terão sido afetadas algumas estruturas empresariais.
Se para Carlos Carreiras, chefe do governo local, este evento constituiu “um grande estímulo para a economia local que, para além de gerar cadeias de valor, mais emprego e riqueza, contribui para projetar o nome de Cascais pelos quatro cantos do mundo”, para alguns empresários com estabelecimentos abertos na baixa de Cascais esta “foi literalmente tomada de assalto por este evento, para não falar de alguns troços da Marginal e os cortes de trânsito só causaram enormes transtornos no normal funcionamento de algumas estruturas”.
O icónico Hotel Baía viu-se forçado a encerrar o parque automóvel privativo para clientes, restaurantes e cafés terão tido dificuldades em ser abastecidos e duas farmácias (Cordeiro e Misericórdia) e uma clínica terão estado em risco de rececionar os medicamentos que, diariamente, necessitam três vezes por dia para repor os stocks.
“É certo que este evento pode ter trazido algumas vantagens, mas não é menos verdade que trouxe desvantagens”, disse um empresário, que pediu o anonimato, manifestando-se “indignado” com o “rigor que os responsáveis municipais impuseram nas restrições” na baixa de Cascais, controladas por agentes da Polícia Municipal.
“Fornecedores houve que tiveram que deixar os veículos afastados e percorrer algumas centenas de metros para entregar mercadorias”, denunciou outro empresário, que optou pelo anonimato por não “querer problemas com os senhores que mandam em Cascais”.
Recorda-se que de 12 a 16 de junho o trânsito esteve cortado entre a rotunda junto ao Jardim Visconde da Luz, Alameda dos Combatentes da Grande Guerra, Passeio D. Luís I, Avenida Dom Carlos I, Avenida da República (até ao cruzamento com a Rua Guilherme Gomes Fernandes).
Já segundo o município, “para mitigar o transtorno junto do comércio local” durante o período do evento foram feitas alterações no horário de cargas e descargas, realizadas entre as 03h00 e as 9h00 e, para as “situações urgentes”, foram autorizados, “excecionalmente”, 5 lugares de estacionamento junto da mini-rotunda do Jardim Visconde da Luz (Restaurante Casa Velha).

“Fechar literalmente a baixa de Cascais, que constitui um importante polo económico por um período tão dilatado, é muito lamentável e, sinceramente, só esperamos que, no futuro, os eventos, por muito vantajosos que possam ser na ótica municipal, não prejudiquem quem tem portas abertas e paga os seus impostos, que não são tão poucos como isso”, concluiu um outro empresário, não sem afirmar estar “cansado do quero, posso e mando” com que “este executivo tem norteado o seu mandato”.

E, no meio dos protestos de alguns empresários contra o que consideram “autoritarismo municipal”, há ainda quem, como alguns moradores, falem em “poluição sonora”, causada pela circulação constante das motos, e na “ocupação, por parte da organização do evento, com “estabelecimentos” de restauração e bebidas da quase totalidade do próprio areal da praia dos Pescadores” e de outros locais da baixa de Cascais.

“A organização instalou vários espaços e, por acaso, bastante espaçosos, na área da restauração que, afinal, não funcionaram mais do que concorrência ao principal polo comercial da baixa de Cascais, que são os estabelecimentos de restauração e bebidas”, denunciou outro empresário da área, que questiona: “Afinal, onde estão os lucros para o pequeno e tradicional comércio de Cascais, principalmente restaurantes e cafés?”.
Imprimir









16 comentários:

João Casanova Ferreira disse...

Continuem a votar no despotismo.

Anónimo disse...

Foi muito bom voltem mais vezes

WALBER Ferreira disse...

Não sou empresário mas penso que um evento como este não deveria ter tanto acesso a bebidas e comidas,,, tinham que prestigiar os comerciantes locais. Mas não foi isso que aconteceu, tinham suas próprias tendas de comidas e bebidas e ficavam por lá mesmo. Mas enfim... deu algum movimento a Cascais.

Henrique disse...

O local ideal para fazer o evento era o Autódromo do Estoril!!!

Henrique disse...

O evento é bom sim mas devia ter sido realizado no Autódromo do Estoril!!!

Anónimo disse...

A ganância do português, só olha para a barriga dele e para o quintal do vizinho...!

dong disse...

ok

Anónimo disse...

Refilar por refilar tambem não vale...

Anónimo disse...

Melhor mesmo foi ver vários motociclistas a circularem tranquilamente com as suas motas e com copos de cerveja na mão, muitas das vezes sem capacete, à frente da nossa polícia municipal que tem sido tão rigorosa nos últimos tempos aqui na nossa zona de Cascais e também a nossa psp...

Anónimo disse...

O evento é interessante, mas o local é inapropriado para o efeito ; nao se podem por em causa interesses de municipes, comerciantes, e turistas.
A pegada ecologica foi de 4 toneladas de co2; como sera possivel o PAN nada dizer ?

Anónimo disse...

As cadeias de valor citadas pelo grande lider, tiveram como retorno os grupos hoteleiros que sem investir um centimo encheram os bolsos... convinha saber quais os montantes publicos empregues pela camara de cascais, ja que a exploração cimercial coube a harley davidson. Como sera tudo isto possivel ?

Anónimo disse...

O grande lider que explique a criacao de emprego com este evento? O merchandising nao era pertenca da Harley ? A colossal esplanada da praia da ribeira, com carnes assadas na hora era explorada por quem ? Obviamente que a criacao de valor foi para o bolso da HOG.
Ja agora, o grande lider inovou, banhos de fumos para quem estava na praia e envolvente ...isto é terceiro mundo , aliado a uma enorme falta de respeito pelas pessoas.

Anónimo disse...

as pessoas sao mesmo complicadas, é bom sim que este tipo de acontecimentos existam, todos os comerciantes tomaram conhecimento deste evento com muitos meses de antecedência , para se puderam organizar, quando forem a festas de cascais, como iram fazer?

Anónimo disse...

Pelos comentarios expostos, ficou patente que os comerciantes pouco ou nada sabiam sobre este evento e os moldes propostos de autocracia da camara municipal de cascais e respectivo elenco, incluindo a Policia Municipal.... nem se quiseram expor com medo de represálias... grande falta de democracia e participação electiva em Cascais.

Anónimo disse...

Para finalizar este tema reporto a inenarravel cronica do edil mor no jornal i de 19.06.2019 ,no qual fala do sucesso estratosferico do encontro harley davidson em Cascais... nada apreendeu ou quis apreender com o texto e comentarios aqui descritos, e melhorias propostas por comerciantes e municipes... aposta tudo no aspecto economico, como se o curriculo no grupo sousa sintra servisse de cartao de apresentacao a nivel economico ... a fabrica de santarem foi vendida em hasta publica por um euro... obviamente esta tudo dito ,sobre pseudo cronicas econonicas.

António Rugeroni disse...

O Parque do Casino do Estoril poderia ser mais apropriado, na minha opinião.

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE