Mulher de 63 anos brutalmente violada nas Fontainhas foi de táxi para o hospital

Segurança

Por Redação
21/07/2018
Uma mulher, de 63 anos, foi brutalmente violada no anexo que habita, nas Fontainhas, esta sexta-feira, à tarde, mas ainda teve forças para ir de táxi à urgência do Hospital de Cascais, onde permanece internada, apurou Cascais24.

O alegado autor da brutal violação, um homem na casa dos 50 anos, com o qual a vítima manteria há algum tempo uma relação de amizade, acabou por ser detido mais tarde pela GNR de Alcabideche e é este sábado submetido a primeiro interrogatório judicial.

Segundo ainda Cascais24 apurou, o suspeito, desempregado e antigo pintor de automóveis, foi alvo de uma busca domiciliária à casa que partilha com a mãe e um sobrinho - um bairro em Alvide- onde, por acaso, a GNR acabou por descobrir uma estufa de cannabis. 

Esta estufa funcionava no quarto do sobrinho do suspeito, um homem, de 37 anos, que foi libertado mediante a constituição de arguido e Termo de Identidade e Residência, soube, ainda, Cascais24.

As autoridades só tomaram conhecimento da brutal violação, aparentemente protagonizada com requintes sadomasoquistas, quando a mulher deu entrada, bastante debilitada e a sangrar, na urgência do Hospital de Cascais e foi a partir dai que desenvolveram todas as diligências, coordenadas por uma Procuradora-Adjunta do Ministério Público, que culminaram na detenção do suspeito e na recolha de todos os elementos de prova.

Depois de inicialmente assistida na unidade hospitalar, a vítima foi submetida a exames no Instituto de Medicina Legal, em Lisboa, tendo regressado ao hospital onde continua internada.

A Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa e Vale do Tejo, que detém a competência reservada para investigar crimes sexuais, também foi contatada, mas terá considerado não haver necessidade de fazer deslocar uma brigada para tomar conta do caso.
Imprimir

Sem comentários:

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE