COLÉGIO DA BOA NOVA. Carreiras destaca papel pioneiro da Igreja Católica na educação dos jovens e Cardeal Patriarca recorda freira assassinada

Atual

Por EMANUEL CÂMARA (Texto e fotos)
14 setembro 2019

Cascais tem que estar muito agradecido à Igreja Católica”. Esta afirmação foi feita, este sábado, de manhã, pelo presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, perante o Cardeal Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, durante a cerimónia pública da bênção das novas instalações do Colégio Srª Boa Nova, do Centro Paroquial da Paróquia de Santo António do Estoril. 

“Antes de o Estado central e as autoridades públicas investirem na educação dos nossos jovens foram, de facto, instituições ligadas à Igreja Católica que tudo fizeram. Eu próprio beneficiei disso”, sublinhou o autarca, considerando que “tem existido um complexo em fazer este reconhecimento”.

“A Igreja chegou à frente e formou gerações de cidadãos, hoje de Cascais”, disse Carlos Carreiras, recordando que esta instituição também foi a primeira no campo social, dando como exemplo a Santa Casa de Misericórdia, activa desde 1551 no concelho. “Durante séculos esta instituição foi o único apoio social. E esta comunidade [municipal] está agradecida por tudo aquilo que a Igreja Católica nos tem proporcionado”, referiu o autarca. 


Carlos Carreiras recordou ainda que no local deste complexo existia “um dos maiores bairros de exclusão, o bairro do Fim do Mundo, um bairro de barracas onde não se garantia a dignidade humana em todas as suas dimensões.” As barracas deram lugar aos edifícios do bairro do Pinhal Novo e ao Complexo do Colégio, este último da iniciativa da Paróquia do Estoril.

O Colégio da Boa Nova, frequentado por alunos do 1.º ao 9.º ano de escolaridade, é já uma instituição educativa de referência. O novo edifício, construído de raíz, acrescentou ao colégio 24 salas de aula, laboratórios de Ciências da Natureza, Físico-Química e de Línguas, sala para artes performativas, sala para necessidades educativas especiais, biblioteca, pequeno auditório, capela, duas salas de EVT, sala de música, duas salas de Cestos, pátio central e dois campos de jogos no exterior. 


Cardeal Patriarca recorda freira radical assassinada  

A cerimónia inaugural foi antecedida da celebração de uma missa, evocativa da festa litúrgica da Exaltação da Santa Cruz, na igreja da Boa Nova, durante a qual o cardeal Patriarca proferiu uma homilia, na qual exortou os cristãos a “doar a vida pelos outros, para os ajudar a salvar”, seguindo o exemplo de Jesus Cristo. A este propósito, recordou a religiosa das Servas de Maria Ministras dos Enfermos brutalmente assassinada, no domingo passado, em São João da Madeira, no distrito de Aveiro.




“Por não desistir e querer estar sempre ao lado dos outros, acabou por ser morta. Ela participa nesta vitória de Cristo sobre a morte. Está em Cristo, está connosco. A sua memória abençoada está em Deus”, disse D. Manuel Clemente.

O homicida, 44 anos, convidou a irmã Maria Antónia Pinho, que era sua vizinha do lado, para entrar em casa dele e beber um café, antes de a freira se dirigir à igreja para participar na missa. Queria agradecer-lhe por esta lhe ter dado boleia.

De acordo com a PJ, terá tentado ter relações sexuais com a freira de 61 anos, o que lhe foi recusado. “Perseguindo a sua intenção, recorreu à força física aplicando, ao que tudo indica, um golpe de estrangulamento, que terá sido a causa da morte, e posteriormente deitou-a sobre a cama e terá mantido relações sexuais”, descreve a polícia em comunicado.

Imprimir


1 comentário:

Anónimo disse...

No seu melhor estilo de liderança paroquial e autocratica.

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE