Carreiras, Canavilhas e Clemente em debate decisivo esta noite na TVI24

Autárquicas


Os candidatos à presidência da Câmara Municipal de Cascais, Gabriela Canavilhas (PS), Carlos Carreiras (PSD/CDS-PP) e Clemente Alves (CDU) participam esta segunda-feira, à noite, num debate conduzido por Judite de Sousa na TVI24.

É a primeira vez que os líderes das três candidaturas estão juntos num debate televisivo, com inicio previsto e a não perder pelas 21h27.

Já carregado de uma enorme e justificada expetativa, este debate irá por certo proporcionar aos espetadores e, sobretudo aos cascalenses, uma excelente oportunidade de poderem avaliar os candidatos às eleições autárquicas de 1 de outubro próximo.

Um analista explicou, a Cascais24, tratar-se de um debate que pode ser "decisivo, em que os eleitores poderão, em direto, avaliar as qualidades, as personalidades e as atitudes de cada uma das candidaturas".

Gabriela Canavilhas por ‘Trabalhar Por Cascais’ (PS),  Carlos Carreiras, atual presidente do município pela ‘Viva Cascais’ (PSD/CDS) e Clemente Alves, atual vereador e candidato pela CDU, apontado como "o homem que mais oposição tem feito nestes últimos quatro anos", são os candidatos que vão estar frente-a-frente neste tão aguardado debate.

Movimento "Também És Cascais" protesta

De fora neste debate, que promete, ficaram o movimento independente "Também És Cascais", liderado por João Sande e Castro, Cecília Onório, do Bloco de Esquerda, e Francisco Guerreiro pelo PAN.

Até ao momento, no entanto, apenas o movimento liderado por Sande e Castro manifestou, através da sua página oficial do Facebook o seu mais "veemente protesto".

"Infelizmente, tudo indica que será um debate parcial e truncado", diz o movimento "Também És Cascais", cuja candidatura nasceu de um "grupo de intervenção nas redes sociais que conta hoje com mais de 14 mil participantes, um dos maiores grupos de debate autárquico no país, se não mesmo o maior". 


"As candidaturas que irão estar presentes no debate parcial, conseguiram até à data juntar um total de 2.420 participantes num grupo de debate, para o caso da coligação Cascais Avança, e 114 (cento e catorze) membros no caso do Partido Socialista. Estas candidaturas têm utilizado em profusão o próprio grupo da lista ‘Também És Cascais’ para participarem no debate que não conseguem fazer pelos seus meios próprios", afirma este movimento independente, segundo o qual "a TVI resolveu exclui-lo, limitando-se a dar voz aos partidos tradicionais do sistema, nos quais cada vez menos portugueses se reveem e ajudando a que em Cascais se volte a repetir o quase recorde nacional de abstenção de 62%".


Por enquanto, ainda não são conhecidas posições do Bloco de Esquerda, cuja candidata à presidência do município cascalense é Cecília Onório e do PAN, o partido das Pessoas, Animais e Natureza, Francisco Guerreiro.


2 comentários:

João Casanova Ferreira disse...

Sim, é preciso impedir que se repita o recorde nacional de abstenção de há quatro anos, com quase 63% dos votantes inscritos a alhearem-se das eleições. Só pela via do esclarecimento, da informação credível, do combate à demagogia, da clarificação das posições a democracia sairá reforçada. E Cascais precisa de regressar à normalidade democrática, onde os munícipes sejam respeitados como cidadãos durante todos os dias de todos os anos e não apenas nas vésperas das eleições. E onde os partidos com menor expressão eleitoral sejam igualmente respeitados.

Anónimo disse...

Em Cascais a democracia já colapsou desde que este elenco liderado pelo sr carreiras está a frente dos destinos da edilidade eleito por 16% dos municipes. A opinião das pessoas deixou de contar e grassa a arrogancia prpotencia e dalta de considera

DESTAQUE.

Liberais alertam para degradação e abandono da Bataria de Parede

ABANDONO.   O Núcleo Territorial de Cascais da Iniciativa Liberal (IL Cascais) alertou, em comunicado, para “a crescente degradação e abando...

+ populares