Judiciária captura casal ex-emigrante que atraia taxistas a ciladas para assaltos

Segurança

Por Redação
27 agosto 2019

Um casal ex-emigrante, suspeito de ter assaltado um motorista de táxi, em Carcavelos, foi identificado, localizado e detido em Vila Franca de Xira pela Brigada Antirroubo da Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa e Vale do Tejo e viu confirmada a prisão preventiva.

Também uma outra mulher foi detida pelos inspetores, mas acabou por sair em liberdade depois de submetida a primeiro interrogatório judicial, estando em curso ainda diligências para identificar um outro homem, também suspeito de integrar o quarteto que a PJ acredita ser responsável por uma vaga de assaltos à mão armada na região da Grande Lisboa.

Na sequência das diligências realizadas, que contaram com a colaboração da PSP, a Polícia Judiciária apreendeu a arma utilizada para a prática dos crimes, os telemóveis roubados e diversos outros objetos relacionados com os crimes praticados.

Para já, os três suspeitos, com idades entre os 31 e os 40 anos, estão fortemente indiciados pela prática de dois assaltos a motoristas de táxi, um no concelho de Cascais e outro em Loures.


O ataque ao motorista de táxi, em Cascais, registou-se no dia 21, de madrugada. O casal, fazendo-se transportar num veículo, abordou o motorista, de 63 anos, junto à rotunda do Hospital de Cascais, em Alcabideche. A mulher, que era a condutora, estava em lágrimas e alegava andar perdida com o marido. Procuravam, alegaram, a rotunda de S. Miguel das Encostas. 

Sensibilizado, o motorista ofereceu-se, então, para os conduzir até ao destino, dizendo-lhes para seguir o táxi.

Porém, chegado a Carcavelos o taxista foi abordado por um outro casal, que lhe agradeceu a ajuda e até lhe perguntou quanto queria receber pelo serviço. Recusou.

Foi, então, que o homem sacou de uma arma de fogo e lhe apontou à cabeça. O taxista reagiu, envolvendo-se em luta, mas acabou dominado a murros e pontapés, um deles na cabeça.

Com o motorista prostrado, o agressor acabou por roubar a carteira da vítima, com cerca de 100 euros e, ainda, as chaves do táxi.

O quarteto acabou por colocar-se em fuga e o taxista teve necessidade de ser assistido na urgência do Hospital de Cascais.


Em declarações a Cascais24, João Bugia, coordenador de Investigação Criminal, que está a dirigir a Brigada Antirroubo da PJ de Lisboa e Vale do Tejo, reconheceu que estes ataques a taxistas revelam um novo “modus operandi”.

Ainda segundo o coordenador de Investigação Criminal, “a Polícia Judiciária irá prosseguir as diligências no sentido de apurar o eventual envolvimento dos ora detidos em outros crimes semelhantes, bem como na identificação de outros suspeitos”.


Imprimir

Sem comentários:

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."