Jovem proibido de partilhar casa e de contatar com mãe e avó que maltratava

Segurança



                       25 outubro 2019

Suspeito de maltratar a mãe e a avó, esta de 74 anos,  um jovem, de 22 anos que, alegadamente, padece de anomalia psíquica, foi detido e libertado esta quarta-feira, mediante a proibição de contatar, por qualquer meio, com as vítimas e de permanecer na habitação que partilhava com as mesmas, no concelho de Cascais, apurou esta sexta-feira Cascais24.

Para o Ministério Público (MP) do Núcleo de Cascais, “os fortes indícios recolhidos” apontam para que no dia 21 de outubro o arguido proferiu ameaças de morte à sua mãe e agrediu-a fisicamente, assim como maltratou psicologicamente a sua avó, de 74 anos.

O jovem foi submetido a primeiro interrogatório judicial, em Cascais, por estar “fortemente indiciado pela prática de crimes de violência doméstica, ofensa à integridade física agravada e ameaça agravada”.

Acabou por sair em liberdade.

No entanto, ficou sujeito à medida de coação de proibição de contatar, por qualquer meio, com as vítimas (mãe e avó) e proibição de permanência na habitação onde o crime foi cometido ou onde habitava com as vítimas, por o Ministério Público (MP) ter verificado, em concreto, o perigo de continuação da atividade criminosa.

Imprimir

1 comentário:

Da Serra disse...

Estas sentenças destes "doutos" juízes só dão para rir... ou então para chorar.
É evidente que o energúmeno voltará a contactar a família.

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas