Parvovirose no Centro de Proteção Animal de Cascais suspende entrada de novos canídeos até final do mês

Atual






A entrada de novos canídeos no Centro de Proteção Animal de Cascais está suspensa até ao próximo dia 30 de janeiro, revelou, a Cascais24, João Salgado, vice-presidente da Associação São Francisco de Assis. O dirigente confirmou, assim, esta sexta-feira, a notícia avançada por Cascais24, segundo a qual, na origem da suspensão, estava um surto de parvovirose detetado há alguns dias.



Cascais24. Confirma-se este surto e esta suspensão?



João Salgado. Efetivamente foram detetados alguns canídeos com sintomatologia própria desta patologia pelo que, efectuados os necessários testes de diagnóstico, os mesmos confirmaram a positividade ao Vírus da Parvovirose.


Neste sentido, e cumprindo os procedimentos cientificamente aconselhados para estes casos, a equipa Médico-Veterinária do Centro de Proteção Animal de Cascais (Médico Veterinário Municipal e Diretor Clínico da SFA Cascais) determinaram como medida cautelar de segurança, a suspensão, pelo período de 15 dias, da entrada de novos canídeos, com início em 15 jan pp.


Cascais24. Este surto foi detetado nas instalações do canil da Associação ou do canil municipal?


João Salgado



João Salgado. Como é consabido o Centro de Proteção Animal de Cascais considera as instalações do Centro de Recolha Oficial do Município e as da SFA Cascais, com gestão integrada e conjunta, pelo que, no âmbito das boas práticas de manutenção e/ou incremento dos níveis de sociabilização dos animais residentes e da sua qualidade de vida, estes convivem entre si com a liberdade que decorre do temperamento individual de cada um. Este procedimento, não só aconselhável como desejável,  determina contudo, que em situações desta natureza, não se possa, por prudência, considerar que alguma das várias instalações de abrigo aqui existentes, esteja ou seja imune ao risco de contágio.



Cascais24. Até quando se irá manter esta suspensão?


João Salgado. Até ao próximo dia 30 de jan - com efeito, os trabalhos de higienização / desinfestação dos espaços, foram iniciados em 15 janeiro (imediatamente após a deteção da existência do vírus) de acordo com as normas técnicas que os consubstanciam e lhes determinam o sucesso, impõem um prazo de 15 dias de defeso até poderem voltar a ser usados com segurança, ou seja, sem risco de contágio.

Estes trabalhos decorrem sob supervisão técnica da Autoridade Veterinária Municipal e Direção Clinica da SFA Cascais e obedecem a um plano de trabalhos gizado para que esta interrupção tenha o menor impacto possível na qualidade de vida dos animais e dos fatores de higiene e segurança pública que estão diariamente presentes e subjacentes à nossa atividade.

A nossa missão e os nossos valores, são ativos de que não prescindimos e, não nos refugíamos nunca, no argumento fácil de que não é possível dar resposta às situações graves e urgentes, por via de uma qualquer contrariedade conjuntural, como é o caso.


Cascais24. O transporte e a recolha urgente de animais mantêm-se?



João Salgado. Naturalmente que Executivo Municipal, Autoridade Veterinária Local e SFA Cascais estando conscientes das suas responsabilidades em matéria de socorro a animais efetivamente doentes e / ou em sofrimento, mantém a resposta a casos manifesta e obviamente urgentes através do recurso às muitas entidades parceiras com quem mantemos as melhores relações de cooperação, com especial destaque para as famílias de acolhimento temporário que no âmbito do exercício de uma cidadania ativa e responsável, estão sempre disponíveis para nos ajudar. Mal seria que, apesar da questão subjacente à entrada de animais no Centro de Proteção Animal de Cascais, um concelho reconhecido como de referência nesta matéria, deixasse à sua sorte os animais que precisam de auxílio.

O Centro de Proteção Animal de Cascais (Centro de Recolha Oficial de Animais do Município e SFA Cascais) mantém a sua atividade permanente e diária, 24H por dia / 7 dias por semana, encontrando diariamente as respostas mais adequadas para as questões inerentes Proteção Animal no nosso Concelho e à aplicação de políticas públicas eficazes, maximizando sinergias e recursos disponíveis.





Parvovirose canina


A infecção por Parvovirus, também chamada “Parvo”, é uma doença dos cães que é especialmente severa em cachorros e que afecta o tracto intestinal, provocando diarreia, febre e uma diminuição da capacidade do animal lutar contra as infecções.
Os Doberman Pincher, Rottweilers e cães de raças nórdicas (Huskies, Malamutes, etc.) são os mais susceptíveis á doença, sendo os animais com sintomas mais exuberantes, embora qualquer animal de qualquer raça ou cruzamento possa contrair e morrer desta doença.
Os cães susceptíveis de infecção contraem a doença através da ingestão de substâncias infectadas pelo virus. Os Parvovirus multiplicam-se no tracto intestinal dos cães infectados, que durante a infecção podem libertar mais de um bilião de vírus por cada colher de chá de fezes que produzem.
Trata-se de um vírus tão resistente que sobrevive mais de 6 meses no ambiente, sendo impossível de o eliminar do solo sem matar toda a sua vegetação. Para espaços interiores, lavagens profundas com lixívia são aconselhadas para os espaços habitados por animais infectados.
Normalmente os cachorros contraem a doença através do solo contaminado por matérias fecais, sendo que os primeiros sintomas são vistos cerca de 4 a 14 dias após a infecção.
Os primeiros sinais da doença são depressão, perda de apetite e febre, cerca de 1 a 2 dias depois começam os vómitos e a diarreia que progressivamente começa a conter cada vez mais sangue. Estes sintomas progridem muito rapidamente para desidratação e morte em animais severamente afectados.Os cachorros entre as 6 e as 8 semanas de idade têm a maior taxa de mortalidade.
As cadelas imunizadas por vacinação passam alguns anticorpos (defesas internas) para os filhotes através do leite o que os poderá proteger durante as primeiras semanas de vida, após este período o cachorro está dependente das suas próprias defesas para combater a infecção. (In Hospital dos Animais)

 CURIOSIDADES


PIQUETE COM AMBULÂNCIA 24H
No ano passado, o município de Cascais apostou numa ambulância que está disponível 24h todos os dias do ano para o resgate de emergência de animais no concelho. A ambulância é sempre acompanhada por um piquete e um médico veterinário. Quem presenciar uma situação que precise de intervenção imediata no concelho de Cascais deverá contactar o número do Centro de Protecção de Animais 214 870 095 nos dias úteis, das 9h as 18h. Caso exista necessidade de o resgate ser feito noutro horário devem ser contactadas as seguintes entidades:

  • Polícia de Segurança Pública de Cascais: 214 814 060
  • Polícia Municipal de Cascais: 214 815 611
  • Protecção Civil de Cascais: 214 607 610
  • GNR de Alcabideche : 213 252 660
  • Bombeiros de qualquer freguesia de Cascais

Estas entidades irão proceder a uma triagem prévia e avaliação da necessidade de uma intervenção do piquete e do médico-veterinário.

Até ao dia 26 de outubro, o piquete de intervenção e resgate realizou 231 intervenções.

CENTRO DE RECOLHA
Ainda este ano entrou ao serviço o Centro Oficial de Recolha de Animais, que foi construído de raiz e está equipado com modernos meios tecnológicos. Estes equipamentos vieram melhorar significativamente as condições de higiene, conforto e segurança para os animais que são recolhidos das ruas. O novo centro de resgate de animais conta com sala de cirurgia, sala de vacinação antirrábica e colocação de microship, local apropriado para o recobro de gatos e cães e ainda zona de acolhimento temporário de animais de grande porte, como por exemplo bovinos, equinos e caprinos.
O Centro Oficial de Recolha de Animais de Cascais encontra-se na Estrada Principal do Zambujeiro, porta número 432. O espaço foi concebido para uma lotação de mais de 100 animais, com capacidade de acolher cerca de 45 cães, 45 gatos, três boxes para quarentena ou recobro de cães e quatro para gatos. Na associação S. Francisco de Assis, que se situa no mesmo espaço e apoia e é apoiada pelo centro, existe uma boxe para animais de grande porte e ainda existem 12 gaiolas para o internamento de animais.



NÚMEROS
Nestes últimos anos foram resgatados da rua e do canil municipal cerca de 4.550 animais, que a Associação S. Francisco de Assis colocou em adopção com uma taxa de sucesso de 92%.
CORPO CLÍNICO
Todos os animais entregues ou resgatados pela associação são observados pelo Corpo Clínico, sujeitos a um período de quarentena, tratados e depois de estarem fisicamente aptos, esterilizados, vacinados, chipados e colocados no sistema de adoção, através de uma ampla divulgação.
OBJETIVO
O objetivo primordial da Associação é garantir aos animais errantes, abandonados ou vítimas de maus tratos no Concelho de Cascais, um espaço onde possam ser recebidos, tratados, acarinhados e encaminhados para uma família que lhes garanta uma vida com a dignidade e o respeito que merecem, através dos princípio da adoção responsável e fieis ao Conceito das CINCO LIBERDADES.

Noticia relacionada
ALERTA. Surto de parvovirose no canil suspende recolha de animais em Cascais 
 
 






Sem comentários:

DESTAQUE. 29 cães em risco resgatados em Carcavelos

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE