AUDITORIA. Erros de 900 mil euros na gestão de fundos próprios da Junta de Freguesia de Carcavelos e Parede

Atual

Por Redação
27 outubro 2019

O relatório da auditoria às contas da União de Freguesias de Carcavelos e Parede, que tardava em ser conhecido, foi apresentado e discutido esta terça-feira, em Assembleia de Freguesia, tendo revelado que são necessários “ajustamentos” que, “a serem efetuados (…) os fundos próprios geridos pela autarquia seriam reduzidos em 894.896€.

Pedida por alegadas irregularidades na contabilidade e nos recursos humanos da Junta de Freguesia no mandato de 2013 a 2017, a auditoria que foi realizada pela empresa BDO, por proposta da Assembleia de Freguesia, concluiu agora terem existido alegados erros nos fundos próprios da autarquia.

Distribuído aos partidos políticos no dia 27 de  setembro último, o relatório da BDO explana ainda a forma como o desfalque da Junta de Freguesia da Parede foi integrado nas contas da União das Freguesias.



Ricardo Pires
“O que o relatório demonstra é que havia fundamento para a Assembleia pedir a auditoria, nomeadamente porque os fundos próprios estavam empolados em quase 900 mil euros”, afirmou, entretanto, Ricardo Pires, líder dos Socialistas na Freguesia.

Ainda segundo Ricardo Pires, “do nosso ponto de vista é preciso que o PSD e CDS assumam os erros e apresentem contas retificadas e verdadeiras.”

Face a um conjunto de matérias, com possível gravidade, por esclarecer no relatório e ainda o ponto de situação da auditoria de junho, agora conhecido, que se queixa da “difícil obtenção e disponibilização” de documentos e de “vicissitudes de agendamento dos trabalhos” com serviços da Junta, a bancada socialista propôs a realização de uma nova sessão extraordinária da Assembleia de Freguesia com a presença da auditora BDO e do técnico oficial de contas da Junta, proposta que foi aprovada. 

“O ponto de situação de junho que hoje conhecemos e que o Executivo na altura recusou-se a disponibilizar à Assembleia é alarmante”, diz Ricardo Pires, segundo o qual “as omissões no relatório são demasiado óbvias para não merecerem um esclarecimento cabal na próxima Assembleia”.

“O PS não descansará até obter a verdade toda”, concluiu Ricardo Pires. 

A antiga presidente Zilda Silva e o sucessor Nuno Alves
A autarquia, que tem estado no centro e alvo da auditoria da BDO é liderada desde as últimas autárquicas, há dois anos, por Nuno Alves, que sucedeu à polémica Zilda Costa Silva que, em 2013, assumiu a liderança da então constituída União de Freguesias de Carcavelos e Parede pela coligação “Viva Cascais” - PSD/CDS-PP. 
Noticias relacionadas




4 comentários:

Anónimo disse...

Já tinha ouvido falar de mais esta boa gestão dos pafiosos.

Anónimo disse...

Já viram as contas da Junta de São Domingos de Rana, então vejam

Anónimo disse...

"Já viram as contas de S. Domingos de Rana?"
Quem az esta pergunta que tenga a coragem de assumir essas suspeitas solicite uma auditoria às contas.
Mas como nem o PSD/CDS tem essa coragem, alguns vão lançando suspeitas, para ver se dustrai as pessoas das aldrabices e má gestão do PSD/CDS nas autarquias de Cascais.

Carlos disse...

Eu Concordo quem faz suspeitas deve em primeiro dar a cara e segundo deve assumir e solicitar essa mesma auditoria, para que conste as contas dessa junta de freguesia, já foram auditadas mas podem ser outra vez sem qualquer problema, e auditar outras instituições não???!

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas