Jovem caboverdiana que atirou filho para ecoponto em preventiva em Tires

Segurança


                     09 novembro 2019
Chama-se Sara Patrícia, tem 22 anos e é cidadã cabo-verdiana a jovem suspeita de, esta terça-feira, ter lançado para um contentor do Ecoponto, em Santa Apolónia, Lisboa, o filho recém-nascido e que, esta sexta-feira, viu confirmada a prisão preventiva, tendo recolhido ao Estabelecimento Prisional de Tires, Cascais, apurou Cascais24.

Já depois de detida pelos inspetores da Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa e Vale do Tejo, Sara Patrícia tinha sido conduzida à cadeia de Tires, onde pernoitou antes de ser submetida a primeiro interrogatório judicial, esta sexta-feira, à tarde, no Campus de Justiça, em Lisboa, conforme Cascais24 avançou em primeira mão.

A jovem cabo-verdiana, referenciada como sem-abrigo, terá dado à luz não muito longe do contentor onde acabou por tentar desfazer-se da criança que, milagrosamente, veio a ser descoberta por Manuel Xavier, outro sem-abrigo que já é considerado um "herói nacional" e, inclusivamente, teve o privilégio de receber o reconhecimento do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa pela sua "atuação humanística".

Sara Patrícia está indiciada por homicídio qualificado, na forma tentada.

Foi identificada, localizada e detida em tempo recorde pela PJ.

Aos inspetores da Judiciária terá confessado ter atuado sozinha ao procurar desfazer-se do filho - uma criança saudável, que foi assistida e ainda permanece no Hospital de D. Estefânia, em Lisboa.

Agora, em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Tires, Sara Patrícia deverá permanecer nos próximos 15 dias numa cela individual, em período de observação.

Imprimir














Sem comentários:

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas