Suspeito de ter ateado fogo em Adroana foi detido pela PJ e ficou em preventiva

SEGURANÇA

Por Redação
30 junho 2020
Um homem, 47 anos, estrangeiro, foi identificado e detido em tempo recorde pela Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa e Vale do Tejo, por suspeita de ter ateado o incêndio, este domingo, em Adroana, e viu confirmada a prisão preventiva.

O fogo, que devastou uma área de cerca de 2000m2 de vegetação, contígua ao bairro de Adroana, foi ateado "sem motivo aparente", segundo a investigação da secção da PJ de Lisboa e Vale do Tejo, encarregue dos crimes de fogo posto.

O  homem, que vive sozinho e não trabalha, não tendo, igualmente, família em Portugal, pegou o fogo  a uma área de vegetação, composta por pasto, mato, arbustos e árvores, tendo colocado em perigo "um bairro habitacional e algumas casas isoladas".

"O incêndio só não tomou proporções mais graves em virtude de ter sido detetado precocemente, tendo sido suscitada, de imediato, a intervenção rápida dos bombeiros que o vieram a extinguir", revelou a investigação.

Submetido a primeiro interrogatório judicial, o suspeito viu confirmada a prisão preventiva, tendo recolhido ao Estabelecimento Prisional de Caxias.




Sem comentários:

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE