Grelhador na origem de fogo que destruiu edifício Cascais Atrium há 3 anos

Por Redação
30 março 2019

O incêndio que, há três anos, a 26 de março de 2016, de madrugada, deflagrou no edifício Cascais Atrium, na Guia, pode ter tido origem negligente por parte de turistas espanhóis, de férias na quadra pascal, que terão usado um grelhador na varanda do apartamento alugado para assar peixe, depois de uma noite de diversão, soube Cascais24.


Inicialmente, a causa do incêndio, que deixou um impressionante rasto de destruição, fora atribuída, presumivelmente, a um curto-circuito no televisor existente no apartamento, ao nível do quarto piso, alugado pelo casal espanhol, que estava acompanhado pela filha.

No entanto, apurou Cascais24, as perícias da PJ no processo que ainda está a ser investigado pelo Ministério Público (MP) terão revelado a existência de negligência, tendo sido afastada a hipótese inicialmente avançada de alegado curto-circuito ou de ação criminosa.

O incêndio destruiu perto de 70 apartamentos, entre os quarto e oitavo andares do conhecido edifício e, na altura, levantaram-se algumas dúvidas sobre a eficácia e prontidão no seu combate por parte dos Bombeiros sobre os quais ainda chegaram a recair suspeitas infundadas de que poderiam ter-se apropriado de bens de alguns moradores durante as operações de rescaldo.

Ao rasto de destruição de haveres e de apartamentos escapou a suite do Bispo da IURD, em Portugal, situada num duplex do nono piso, conforme, então, Cascais24 avançou.
Imprimir


Sem comentários:

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."