Condenado a 4 anos com pena suspensa por agredir avó e a mãe

SEGURANÇA

Por Redação
25 junho 2020

O juízo local criminal de Cascais condenou, esta segunda-feira, um homem pela prática de um crime de violência doméstica agravada na pessoa da sua avó, cinco crimes de ofensa à integridade física qualificada e um crime de ameaça agravada, estes na pessoa da sua mãe, na pena única de 4 anos de prisão, suspensa pelo mesmo período.

A suspensão da pena ficou sujeita à condição de o arguido não contatar a vítima, direta ou indiretamente, e a regime de prova – devendo o condenado cumprir o plano de reinserção social a efetuar pela DGRSP que inclua, designadamente, a frequência de programa para arguidos em crimes no contexto da violência doméstica.

O Tribunal determinou, ainda, o afastamento do condenado da residência da vítima. O afastamento e a proibição de contatos serão fiscalizados através de meios técnicos de controlo à distância.

O arguido foi, ainda, condenado ao pagamento de mil euros, a título de indemnização por danos não patrimoniais, bem como ao pagamento das despesas hospitalares, a título de danos patrimoniais, no valor de € 91,91.

Foi também determinada a recolha de amostra de ADN do arguido para inserir na respetiva base de dados de perfis.

O tribunal deu como provado que, em múltiplas ocasiões, o arguido perpetrou maus-tratos físicos e psíquicos à sua avó, com quem coabitava, assim como ameaçou e molestou a integridade física da sua mãe.

O inquérito foi dirigido pelo Ministério Público com a coadjuvação da PSP.



3 comentários:

Da Serra disse...

AMO esta "justiça" que condena alguém a 4 anos de prisão E DEPOIS O MANDA PARA CASA!!!
Como é possível uma INJUSTIÇA destas???

Unknown disse...

Só um comentário.
Sem comentários.

estevesayres disse...

Não se pode dizer (neste caso) que temos justiça para ricos e outra para pobres- temos isso sim, uma "justiça" de "trazer por casa"!

DESTAQUE.

"Mãe social" da Aldeia SOS condenada por ofensas a menores

ESCÂNDALO .  Uma "mãe social", que prestava serviço há cerca de 30 anos na Aldeia SOS, em Bicesse, e há dois anos cessou o vínculo...

+ populares