Cozinheiro suspeito de agredir e ameaçar mulher mais nova 30 anos em Amoreira

Segurança

Por Redação
O Ministério Público (MP) de Cascais abriu um inquérito para averiguar um alegado crime de violência doméstica, que opõe uma jovem mulher, alegadamente vítima de agressões físicas e psicológicas, e o companheiro, mais velho 30 anos, presumível agressor, que foi identificado esta segunda-feira, à noite, pela GNR de Alcabideche.

Segundo fonte judicial, esta segunda-feira, pouco antes das nove horas da noite, uma jovem mulher, com cerca de 30 anos, recorreu, com ferimentos nos lábios, ao Subdestacamento territorial da GNR de Alcabideche, queixando-se de violência doméstica por parte do companheiro- um cozinheiro, com cerca de 60 anos e pai dos seus dois filhos, ambos ainda crianças.

Na sequência do pedido de auxílio e, por haver fundadas suspeitas de que o alegado agressor pudesse guardar armas de fogo em casa - um apartamento em Amoreira - a GNR com autorização da vítima procedeu a uma busca domiciliária, tendo logrado encontrar uma caçadeira e algumas dezenas de cartuchos, bem como uma espingarda de pressão de ar.

Ausente no momento da busca no apartamento que partilhava com a companheira e os dois filhos menores, o suspeito acabou por ser intercetado pelos militares quando regressava e estacionava o seu jipe, no interior do qual foram, também, confiscados alguns cartuchos de caçadeira.

Conduzido, para averiguações, ao quartel da GNR de Alcabideche, o homem acabou por ser libertado por ordem da Procuradora-Adjunta do Ministério Público de Cascais, a qual, no entanto, ordenou que fosse constituído arguido, com Termo de Identidade e Residência (TIR).

Na decisão da magistrada terá pesado o facto das autoridades terem, entretanto, acionado a Linha Nacional de Emergência Social 144, da Segurança Social, que terá diligenciado encaminhamento urgente da alegada vítima e dos dois filhos, menores.

Segundo uma fonte confidenciou a Cascais24, o suspeito, para além de agressão física, viria a exercer violência psicológica sobre a companheira, mais nova 30 anos, chegando mesmo a colocar estrategicamente em móveis e gavetas do domicílio cartuchos da caçadeira, que terá herdado de um familiar, por forma a causar na vítima um "enorme sentimento de medo".




Sem comentários:

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."