Mulher sai por entre intervalo de carros estacionados e é brutalmente atropelada ao iniciar travessia da via em Cascais

Segurança

A violência do atropelamento está patente na imagem (assinalada com circulo) em que a correia da mala da vítima ficou presa no lado direito capô do ligeiro (Foto CASCAIS24)

 

Por Redação
13 janeiro 2020
Uma mulher, 44 anos, a viver na Parede, foi atropelada com gravidade, esta segunda-feira, de manhã, na avenida Engenheiro. Adelino Amaro da Costa, em Cascais, depois de ter surgido por entre dois veículos estacionados e iniciado a travessia da via, fora de qualquer passadeira.

O acidente, algo brutal, registou-se na via descendente daquela avenida, pelas onze horas da manhã.

Uma testemunha disse, a Cascais24, que a transeunte surgiu na via depois de passar pelo "intervalo de dois carros estacionados", acabando por ser "apanhada" por um ligeiro, Seat Ibiza, que descia a avenida.

"O condutor nada pôde fazer", explicou, a Cascais24, outra testemunha, que não pôde garantir que, pela violência do embate, o ligeiro não circularia naquela via também com algum excesso de velocidade.

A violência do atropelamento ficou bem patente no local do acidente: a correia da mala que a vítima transportava à tiracolo ficou presa no capô do veículo que, ainda, apresentava o espelho retrovisor, lado direito, danificado.

A VMER do Hospital de Cascais chegou ao local depois dos Bombeiros, da moto do INEM e da PSP (Foto CASCAIS24)
A mulher, bastante ferida, foi inicialmente assistida e estabilizada pelos Bombeiros de Cascais e, posteriormente alvo dos cuidados do motociclo do INEM e da equipa da VMER do Hospital de Cascais.

Acabou por ser transportada, em estado muito grave, para a urgência do Hospital de São Francisco Xavier, no Restelo, em Lisboa.

Enquanto decorreram as operações de socorro, a movimentada avenida esteve interdita durante cerca de hora e meia à circulação rodoviária por agentes da PSP da 50ª Esquadra (Cascais) e da Secção de Trânsito, que registaram a ocorrência.

Excessos

Moradores da avenida Engenheiro Adelino Amaro da Costa mostraram-se indignados com mais este atropelamento, embora desta feita fora de uma das passadeiras.

"Circulam por aqui como de isto fosse um autódromo", afirmou uma delas.

(Foto CASCAIS24)
Já a diretora técnica da farmácia Cascais, situada a escassos metros, desabafou no local que "até nas passadeiras os atropelamentos têm vindo a suceder-se com condenável frequência", devido aos excessos, sobretudo de velocidade.

"Já enviei exposições à Câmara e à PSP, para que sejam encontradas soluções", comentou a farmacêutica junto de alguns populares.

"Estamos a aguardar que possam encontrar uma solução", concluiu. 

A solução, segundo apurou Cascais24, pode passar pela instalação de lombas na via, que "travem os excessos", o que moradores consideram uma "boa medida" para minimizar os atropelamentos naquela avenida.
Imprimir












3 comentários:

Kazuza disse...

E pedir autorização para a realização das fotografias? Não há??

Silva disse...

Isso porque a PSP fica a poucos metros acima, um grande investimento naquela nova esquadra, que muito sinceramente nunca vi la movimento a não ser carros estacionados... realmente o excesso de velocidade ali é normal.

Ricardo Reis disse...

As pessoas mesmo nas passadeiras têm que dar a entender aos condutores que querem atravessar, assim diz o codigo da estrada, não é chegar e avançar.

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."