Um morto e um ferido na passagem de nível de São João do Estoril

Segurança

Bombeiros procedem aos trabalhos de limpeza na passagem de nível (Foto CASCAIS24)
EMANUEL CÂMARA (Texto e fotos)

Uma mulher, idosa, morreu trucidada por um comboio, e um homem, também idoso, ficou gravemente ferido, esta segunda-feira, à tarde, na passagem de nível autonomizada de São João do Estoril.

Uma das vítimas terá sofrido uma queda na passagem de nível, acabando por ser colhida por um comboio que tinha saído de Cascais com destino ao Cais do Sodré, em Lisboa. A outra que foi em seu socorro também acabou colhida.

O ferido, depois de estabilizado, foi transportado pelos Bombeiros do Estoril ao hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa.



O acidente registou-se pouco antes das três horas da tarde.

Nas operações de socorro estiveram empenhados 14 operacionais, apoiados por 7 veículos, dos Bombeiros do Estoril, da Parede, a VMER e a PSP.

A circulação ferroviária esteve interrompida durante mais de uma hora nos dois sentidos, tendo sido retomada cerca das quatro horas e meia da tarde.

Também a circulação rodoviária teve que ser desviada enquanto decorriam as operações de socorro.

Segundo Cascais24 apurou, a vítima mortal foi removida do local por uma ambulância dos Bombeiros de Parede para o Gabinete Médico Legal da Guia, em Cascais.




Os atropelamentos ferroviários em São João do Estoril têm-se sucedido nos últimos tempos.

Ainda no sábado, à tarde, o jovem ator Diogo Carmona, 22 anos, foi colhido por um comboio, entre as estações de São Pedro e São João do Estoril, tendo sofrido a amputação do pé direito.

Já no passado dia 18 de este mês, na mesma noite em que caiu uma catenária no Monte Estoril, uma outra pessoa foi colhida cerca da meia-noite na estação de São João do Estoril.

Imprimir

4 comentários:

Anónimo disse...

Está mais que na hora de fazer umas obras e arranjar uma solução para este problema! Assim como fizeram em São Pedro do Estoril.

Anónimo disse...

Nunca seguir um exemplo que literalmente MATOU o comércio em São Pedro do Estoril! O que deve ser feito e é uma passagem subterrânea para peões e viaturas, ou no limite uma linha férrea subterrânea até Cascais! A linha férrea á superfície vê marginal têm de ser repensadas com urgência.

Anónimo disse...

Não é preciso fechar nada! Poderiam voltar a colocar um guarda de linha para tentar minimizar estes acontecimentos.
Mas, o grande mal está no cidadão, que não sabe respeitar as regras.
Se o sinal sonoro e as cancelas estão activas, não se deve passar e pronto!
Quem se aventura a desrespeitar as regras, e não são poucos, infelizmente sujeita-se.
Até já assisti, várias vezes, jovens com motas passarem com as cancelas fechadas.
Existe uma grande falta de noção das consequências.

Anónimo disse...

Só lá ficam os que não respeitam as regras.
Os últimos 3 casos foram todos por causa de pessoas irresponsáveis.
O Diogo Carmona nem foi na passagem de nível, foi numa zona completamente vedada, o miúdo de há uns tempos atrás foi porque atravessou a linha com os fonesp postos com a cancela em baixo e a situação aqui esplanada foi porque a velhota achou que podia atravessar a correr à frente do comboio, como se de uma lebre se tratasse. Sei do que falo, infelizmente assisti a tudo.
Neste momento estão dois polícias na passagem de nível e têm que usar do apito cada vez que vem um comboio porque mesmo com os polícias aqui as pessoas atravessam já com as cancelas em baixo. O mais curioso é que ainda contestam a acção policial, principalmente os idosos.
Também seria bem pensado oa comboios chegarem à estação em marcha reduzida.

Publicação em destaque

O regresso ao escritório pós-Covid: modelos e medidas a adaptar

TRABALHO .  O teletrabalho deixou de ser obrigatório desde o dia 1 de agosto em Portugal. A medida estava em vigor desde janeiro deste ano, ...

FOI NOTICIA

BLOGS