MULTIMÉDIA

Bombeiros do concelho de Cascais garantem socorro a 100% mas não partilham informação com CDOS

Segurança

Por Redação

12 dezembro 2018

Desde as zero horas de sábado que os cinco corpos de Bombeiros do concelho de Cascais não partilham informação das ocorrências com o CDOS de Lisboa.


“O socorro está completamente assegurado, só que não é reportada informação ao CDOS”, disse, a Cascais24, uma fonte dos Bombeiros do concelho de Cascais, segundo a qual “os corpos de bombeiros do concelho continuam a funcionar normalmente e, como até aqui, a prestar o socorro às populações”.


Na sequência da anunciada reestruturação da Autoridade Nacional de Proteção Civil, os 435 Corpos de Bombeiros Voluntários portugueses reclamam, através da respetiva Liga, uma direção nacional autónoma e independente de Bombeiros e com orçamento próprio, que diminua os custos e aumente a eficácia.


A Liga dos Bombeiros Portugueses tem, no total, 470 associados, distribuídos por corporações de voluntários (435), municipais (19), privativos (nove), batalhão de sapadores bombeiros (um), companhias de sapadores bombeiros (cinco) e regimento de sapadores bombeiros (um) distribuídos por todos os distritos do Continente e Ilhas.


Entretanto, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, considera que a suspensão da comunicação das ocorrências promovida pela Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) é ilegal e coloca em causa a segurança das pessoas ao afetar a coordenação de meios de resposta.


A Liga dos Bombeiros Portugueses contesta e assegura que não “há qualquer risco na prestação do socorro”.


Este boicote na partilha de informação aos CDOS nacionais por parte da maioria dos corpos de Bombeiros do País, surge depois do mega protesto de bombeiros voluntários portugueses na Praça do Comércio, em Lisboa.


Recorda-se que os corpos de Bombeiros Voluntários portugueses constituem a maior força de Proteção Civil no País. 

Noticia relacionada 
+Corpos de Bombeiros de Cascais nos protestos por mais "dignidade e respeito" 
+EDITORIAL. A maior força de Proteção Civil do País 

Imprimir

5 comentários:

João Gorjão Neves disse...

Esta atitude é muito estranha.
Porque é que as corporações de bombeiros do concelho vão atrás de uma aventura ilegal e partidarizada (PSD) do sr Marta Soares ?

«É absolutamente irresponsável e põe em causa a segurança dos portugueses. É absolutamente irresponsável admitir que estruturas que integram o sistema nacional da Proteção Civil possam não reportar ao sistema, isto é, por em causa a coordenação de meios”, disse Eduardo Cabrita este domingo de manhã. O ministro disse mesmo que era “ilegal” não reportar informação às autoridades competentes e disse que haverá “consequências” para os incumpridores.» (publicado no "Observador")

Porque é que os srs comandantes estão a arrastar os bombeiros para esta ilegalidade que põe em causa a segurança das populações ? Quais são os interesses que eles (comandantes)estão a servir ? Seguramente não se trata de defender os direitos dos bombeiros que, como de costume, estão esquecidos nem de melhorar o serviço às populações.
Porque é que o sr Marta Soares e os seus amigos querem que o Estado (todos nós) seja o pagador das estruturas mas que não possa controlar o que é, ou não, feito. Querem que as corporações recebam o dinheiro do Estado (de todos nós) e depois se autogovernem com uma estrutura 'independente'? Mas os bombeiros são alguma cooperativa subsidiada ou algum daqueles clubes de futebol que o sr Marta Soares tão bem conhece ?
Haja decência e mais respeito pelos bombeiros. Os srs comandantes deixem-se de jogatanas partidárias e corporativas.

Anónimo disse...

Totalmente solidário com a maior força de protecção civil ( 98%) do Pais .
A cadeia de comando não pode ser escolhida com base em compadrios, amigos do partido, conhecidos,favores politicos ...os critérios podem e devem assentar na competência comportamental e técnica, experiência em cargos similares, capacidade de liderança/coaching ,coluna vertebral, motivação .
Em Cascais, temos que estar atentos até ao final do corrente ano, já que a Coordenadora Municipal de Protecção Civil, segundo informação de 24.11.2018 do Cascais 24 a mesma tenciona apresentar a sua demissão ... esperemos que a escolha assente em critérios objectivos .

Deve ser assinalado que no dia 14.12.2018, termina a odisseia de Cascais Capital Europeia da Cultura ... alguém deu por isso ? o que ficou na memória dos municipes ?
Alguns dizem que o Parlamento Europeu , supostamente projecta sediar em Cascais o Observatório Europeu da Juventude... de facto seria interessante que Cascais continue para além do citado prazo , a ser a capital europeia da Juventude, pela simples razão que, até agora o governo regional local de Cascais nada fez em prol da Juventude Cascalense ... os empregos qualificados vão todos para os concelhos vizinhos ... aqui só existem festarolas, mas ninguém pode viver disso ou simplesmente projectar um futuro sem estratégia de sustentabilidade ... em Cascais não existem politicas de juventude com publico alvo definido, baseado na participação, criatividade, evolução, inovação e transversalidade ... tem de existir mais do que o empregador Câmara Municipal de Cascais .. mas aqui só para os "amigos" e de preferência da cor do partido ... enquanto não acabar esta segregação e discriminação, de facto não pode existir uma real politica para a juventude em Cascais .

Nota : o que é feito da agência DNA ? qual a sua taxa de sucesso ? quantos empregos directos/indirectos gerou no concelho ? quais os montantes empregues e/ou bonificados para esta agência ? qual a faixa etária que recorre a esta agência ? quais as suas habilitações ? existe alguma estatistica credivel sobre isto ?

A BEM DE CASCAIS , POR UMA POLITICA EFICAZ PARA A JUVENTUDE CASCALENSE

Anónimo disse...

Curioso que no Concelho de Cascais haja Comandantes que continuam a fazer serviço de Comandante Permanente às Operações ( CPO ) no Comando Nacional de Operações de Socorro ( CNOS ) da Autoridade Nacional de Protecção Civil e que por isso sejam remun€rado$.
Curioso que o corte com a ANPC seja apenas para servir os interesses corporativistas da Liga dos Bombeiros Portugueses e os interesses pessoais de uma minoria, haja coluna verterebral e coerência senhores.

Da Serra disse...

Apoiado, Bombeiros.
São vocês quem tem conhecimentos e não meia dúzia de burocratas, doutores à força de universidades de meia-tigela.
Força, Bombeiros.

Anónimo disse...

Os verdadeiros bombeiros, aqueles que dão o corpo ao manifesto, merecem todo o respeito.
Mas alguns comandantes e os burocratas da Liga a mando do sr Soares andam a enganar os bombeiros apenas para defenderem os seus interesses e poderes.
É lamentável que haja corporações do concelho de Cascais a ir nesta conversa e a estarem em notícias que dão muito má imagem do que anda a ser feito:
Sobre o incêndio de S. Domingos de rana em que morreu uma pessoa o jornal «OBSERVADOR» escreveu que:
«Numa nota enviada à Lusa, o Ministério da Administração Interna (MAI) refere que a informação prestada hoje pelo presidente da ANPC ao ministro Eduardo Cabrita concluiu “pela situação de grave risco decorrente da ausência de comunicação ao Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa da ocorrência de incêndio habitacional em São Domingos de Rana, Cascais”.

O MAI sublinha que “a mesma informação reporta a violação dos deveres de zelo no âmbito do Regime Jurídico dos Corpos de Bombeiros”.

“Com base nessa informação, o ministro da Administração Interna determinou a instauração de um inquérito, por parte da ANPC, para apuramento de eventuais responsabilidades disciplinares A participação ao Ministério Público para apuramento de eventuais responsabilidades criminais”, precisa a nota do MAI.

O CDOS de Lisboa esteve mais de uma hora sem informações sobre o incêndio hoje de manhã no concelho de Cascais, que provocou um morto, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

Segundo a mesma fonte, o pedido de socorro para o incêndio numa habitação na freguesia de São Domingos de Rana chegou via 112 ao CDOS de Lisboa, que imediatamente acionou os meios junto dos bombeiros voluntários de Carcavelos, que se deslocaram para o local.

A mesma fonte adiantou que o CDOS de Lisboa esteve sem saber o que se passava no terreno durante mais de uma hora, tendo recebido informações sobre a ocorrência através dos serviços municipais de Cascais de proteção civil.

Segundo o INEM, o incêndio provocou a morte a uma mulher e fez com que 10 pessoas fossem assistidas por inalação de fumos, sete das quais com necessidade de receberem tratamento hospitalar.»

ISTO É MUITO MAU.

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

Abrigos precisam-se!

Quem põe na ordem donos de caninos?

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo

Hospitalização domiciliária traz benefícios para o doente agudo
Artigo de OPINIÃO Drª Francisca Delerue

Expulsemos as traquitanas