Paulo Lucas que comandou Divisão Policial de Cascais poderá suceder a Luís Farinha na Direção Nacional da PSP

Segurança



Reúne consenso nas fileiras da PSP e é o oficial superior mais desejado para suceder a Luís Farinha no cargo de Diretor Nacional. Chama-se Paulo Pereira Lucas, tem 52 anos e atualmente é o Comandante Metropolitano da PSP do Porto, o oficial de Polícia com vasto currículo e que também passou pela Divisão Policial de Cascais como comandante.

A ser nomeado, como tudo indicia, Paulo Lucas é o segundo oficial que passou pela Divisão Policial de Cascais a atingir o topo de hierarquia da PSP, depois de Oliveira Pereira.

Paulo Pereira Lucas é, neste momento, um dos onze Superintendentes-Chefes que o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, tem sobre a mesa, para suceder a Luís Farinha na Direção Nacional da PSP.

“A tutela está a ponderar e, a haver substituição no cargo, certamente que escolherá a pessoa mais qualificada para desempenhar o alto cargo, na defesa da instituição, dos seus profissionais e do Estado de Direito”, declarou, a Cascais24, fonte muito próxima do MAI.

“Noticias postas a circular de que uma senhora Superintendente poderia vir a ser nomeada Diretor Nacional da instituição não passa de uma ridícula diversão”, assegurou, por sua vez, a Cascais24, uma fonte bem colocada, precisando que, “embora a nomeação seja politica, a mesma nunca poderá ir contra a Lei Orgânica e estamos a falar de que acima de Superintendente existem Superintendentes-Chefes, o escalão máximo no topo da hierarquia”.

E, concluiu a mesma fonte, “estamos convictos de que o poder político irá escolher o melhor entre os Superintendentes-Chefes e ele chama-se Paulo Pereira Lucas!”.

Natural de Fátima, Paulo Pereira Lucas exerceu o cargo de Diretor Nacional adjunto da Unidade Orgânica de Operações e Segurança, da Direção Nacional, tendo exercido previamente, as funções de secretário-geral-adjunto do Sistema de Segurança Interna.

Paulo Lucas, o homem que todos os polícias querem ver como Diretor Nacional da instituição, foi, ainda, comandante do Comando Regional da Madeira, comandante e 2.º comandante do Corpo de Intervenção, diretor do Departamento de Operações da Direção Nacional, 2.º comandante e chefe da Área de Operações e Segurança do Comando Metropolitano de Lisboa.

Foi, ainda, comandante e adjunto operacional da Divisão de Cascais, chefe do Núcleo de Informações do Comando Metropolitano de Lisboa, coordenador de Área e docente na Escola Prática de Polícia e comandante das Brigadas Anticrime da 3.ª Divisão do Comando Metropolitano de Lisboa, além de comandante da 20.ª Esquadra-Benfica, do Comando Metropolitano de Lisboa.

É licenciado em Ciências Policiais pela antiga Escola Superior de Polícia (atual Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna), possuindo uma pós-graduação em gestão civil de crises pelo mesmo Instituto. Em termos de formação profissional, destaque para a frequência do Leaders Program in Advanced Security Studies, ministrado pelo George C. Marshall European Center for Security Studies; do curso TOPSOPC XII - Top Senior Police Officers Course, promovido pela Academia Europeia de Polícia - CEPOL; do Public Order and Crowd Management, do CEPOL; do curso de Direção e Estratégia Policial (CDEP); do curso de Hostage Negotiator's, ministrado pela Polícia Metropolitana de Londres; e do curso de Especialização de Oficiais em Educação Física, pelo CEFA-Armada.

É autor de alguns artigos e de intervenções em conferências sobre temas como: direito de reunião e manifestação; sistema de segurança interna; modelo de organização da investigação criminal; ordem pública; planeamento e segurança de grandes eventos; e gestão de incidentes tático-policiais.

Imprimir






Sem comentários:

Publicação em destaque

NATAL chegou à Grande Lisboa

A época mais mágica do ano chegou a Lisboa. Os dias mais frios e mais curtos, as luzes pelas ruas das cidades, os mercadinhos, o cheiro a ch...

FOI NOTICIA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA