Mansão dos Espírito Santo à venda por 20 milhões com “abutres” angolanos à espreita

Atual

Por Redação
16 fevereiro 2019

A mansão da família Espírito Santo, na Boca do Inferno, em Cascais, foi posta à venda por 20 milhões de euros e, entretanto, terão surgido vários “abutres” interessados na aquisição, oferecendo montantes muito abaixo, tudo por causa da desgraça em que caiu o clã, devido ao escândalo BES, que envolve Ricardo Salgado.
Apesar de a família Espírito Santo pedir 20 milhões de euros pela mansão, alguns interessados fizeram propostas muito abaixo do elevado montante, entre eles alguns angolanos, que terão enriquecido graças aos milhões enviados pelo BES para Angola e que, agora, com o dinheiro português planeiam, ironicamente, arrebatar a “boca” que os ajudou, confidenciou, a Cascais24, fonte próxima do processo e que pediu o anonimato.
A revelação surge depois de Álvaro Sobrinho, em entrevista à revista Visão, acusar os generais de José Eduardo dos Santos, Dino e Kopelipa, e também o Grupo Espírito Santo de serem os principais beneficiários dos créditos do BES Angola. E, mais: diz que os portugueses foram vítimas de um plano maior montado pelos acionistas angolanos do BESA - com a conivência do Banco Nacional de Angola - para tomarem de assalto, em 2014, o ex-BESA, que se transformou em Banco Económico. “Roubaram 3 mil milhões aos portugueses”, acusa Sobrinho.

“Tem sido com o próprio dinheiro português que muitos angolanos têm comprado imóveis em Portugal, principalmente na região de Cascais”, acrescentou a mesma fonte, escusando-se a pormenorizar, “até porque a polícia de investigação criminal e o poder judicial portugueses estarão a investigar”.

A mansão cor- de- rosa da família Espírito Santo, em Cascais, pertence à sociedade Casa dos Pórticos, que tem um capital de 50 mil euros.

Nos organismos oficiais de Portugal, a empresa CASA DOS PÓRTICOS - SOCIEDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE BENS, S.A. aparece inscrita como SA.
Desde o início da sua atividade empresarial, esta empresa adquiriu mais de 21 anos de experiência. A atividade CINI centra-se especialmente em Administração de condomínios.

De acordo com os dados registados, a última data de atualização é do dia 17 de julho de 2018.

O que está à venda é a sociedade – o que implica a alienação da propriedade, revela o Jornal Económico.
Esta sociedade é detida em partes iguais por cada um dos herdeiros da mãe de Ricardo Salgado, à exceção do antigo presidente do Banco Espírito Santo, cuja quota-parte está em nome da sua mulher, Maria João Salgado, revela, por sua vez, o Jornal Económico.
Da sociedade dona da propriedade 80% estão nas mãos de Maria do Espírito Santo Salgado; de Ana Maria do Espírito Santo Salgado; dos herdeiros de António Espírito Santo Salgado; e de João do Espírito Santo Silva Salgado. Os restantes 20% estão em nome de Maria João Bastos Salgado, mulher de Ricardo Salgado.
MULTIMÉDIA
A PRIMEIRA BUSCA DA PJ À MANSÃO COR DE ROSA a 27 novembro 2014


Imprimir

Sem comentários:

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE