Carreiras perde “paciência” e chama “demagogo e incompetente” a vereador do PS e “mentiroso” ao do PCP

Atual

Por Redação
22 abril 2020

A reunião ordinária do executivo de Cascais, que decorreu esta terça-feira por videoconferência, ficou marcada por alguns episódios, para uns “vergonhosos” para outros “caricatos”, com o presidente do município, Carlos Carreiras, a perder a paciência com os vereadores da oposição, chamando a um deles, João Ruivo, do PS, de “demagogo e incompetente” e de “mentiroso” a Clemente Alves, do PCP.

Curiosamente, o vídeo da reunião ordinária que começou a circular desde logo nas redes sociais, veio mais tarde a ser “removido pelo remetente” para, finalmente, voltar a ser publicado no final do dia no Youtube.

A polémica reunião, por videoconferência e com transmissão direta no Youtube foi inicialmente marcada pelo levantamento de várias questões abrangentes relacionadas com o Covid19 e não só, quer por parte do vereador comunista Clemente Alves, quer do vereador socialista Luís Miguel Reis e, mais tarde, também pelo vereador do PS João Ruivo.

As respostas dadas, quer pelo vice-presidente Carlos Pinto Luz, quer pelo presidente Carlos Carreiras e, em alguns casos, pelo vereador Frederico Pinho de Almeida, foram entendidas como “mais de ataque do que respostas objetivas às questões”.

O próprio chefe do executivo - o único de máscara de proteção em direto a partir dos Paços do Concelho, em Cascais - teceu duras críticas às questões levantadas pelo vereador do PS Luís Miguel Reis, ao qual aconselhou que “exercesse a sua influência junto do seu governo” e não com exigências ao município de Cascais, cuja ajuda governamental tem sido “quase nada ou nula”.

No entanto, a maior tensão surgiu quando o também vereador socialista João Ruivo interveio, questionando algumas matérias, como, por exemplo, a distribuição de máscaras de proteção e tablets e routers fornecidos a algumas escolas, bem como à publicidade dada pelo município à empresa informática fornecedora através de um vídeo institucional. O presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, interrompeu o vereador do PS, acusando-o de ser “demagogo e incompetente” e retirou-lhe a palavra, levando o socialista a afirmar que “não lhe reconhecia o direito legal de o fazer”.  

Já em intervenções distintas, o diálogo com o vereador comunista Clemente Alves ficou marcado com o presidente Carlos Carreiras a chamar-lhe “mentiroso” e, na parte final, durante a votação de um dos pontos, a afirmar mesmo: “Não quero saber do seu voto para nada”.
 
Veja na íntegra o vídeo da reunião ordinária do executivo.




Nota do diretor de Cascais24



O diretor de Cascais24 optou por publicar na íntegra o vídeo da reunião ordinária do executivo da Câmara Municipal de Cascais, que teve lugar esta terça-feira, por videoconferência e com transmissão direta no Youtube, por considerar que, independentemente do tempo do mesmo, que é longo, sem dúvida, deve merecer a atenção e a reflexão dos cascalenses! Cascais24 podia, a partir do vídeo em causa, efetuar cortes e colagens e, enfim, aproveitar os momentos mais polémicos e agitados de esta reunião e publicar. Mas, não. Em nome da transparência e para não sermos acusados, convenhamos que injustamente, à semelhança de situações passadas, em que alguns setores da vida politica e da sociedade civil cascalense teimam em conectar-nos, conforme as conveniências, com a esquerda e/ou a direita, decidimos publicar o vídeo em causa na íntegra, deixando aos milhares de leitores de Cascais24 as inalações que cada um ou o coletivo pode retirar sobre os assuntos trazidos a discussão nesta reunião e a forma como foram tratados pelos autarcas protagonistas, as suas atitudes e comportamentos. Na certeza, porém, de que os cascalenses mereciam melhor!

Valdemar Pinheiro
Jornalista (CPJ nº. 376A)

2 comentários:

João Casanova Ferreira disse...

Temos que pedir a invocação do perdão, Senhor, a quem não sabe o que faz, o que diz e onde está. Não tem culpa de ter os neurónios fundidos. Desejo, comovido, rápidas melhoras.

AC disse...

:-p

Lol

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."