Pintor Silva Palmeira regressa ao mundo das exposições com 21 obras patentes no Sindicato dos Professores da Grande Lisboa



Por Redação
07 fevereiro 2019
Depois de ter estado afastado por um longo período do panorama das exposições, o pintor escalabitano Silva Palmeira, que vive na linha de Cascais, acaba de regressar à ribalta com uma excelente exposição de 21 obras de serigrafia, guacho e óleo, que está patente ao público até ao próximo dia 15 no espaço de cultura António Borges Coelho, do Sindicato dos Professores da Grande Lisboa, na rua Fialho de Almeida, em Lisboa.

É o regresso de um talentoso artista que nos últimos cinco anos esteve afastado do mundo da arte devido a alguns “problemas de saúde”, conforme confidenciou a Cascais24.

“A minha aspiração maior é criar um diálogo com o mundo da linguagem sintética, viagem que se faz na tela e que enriquece os tempos da linguagem poética”, afirmou, em tempos, acrescentando: “Pinto como respiro, amo como vivo e isso é, sem dúvida, o princípio da procura de uma verdade imutável, experiência diária, que traduz o meu olhar sobre o mundo que me cerca”.

Silva Palmeira nasceu em Santarém em 1934 e iniciou a sua atividade artística como pintor em 1948 na área da cerâmica, altura em que estudou desenho e pintura com Ramos Ribeiro. “Comecei na então fábrica Maritália, em Santarém”, recordou a Cascais24.

A sua primeira exposição foi realizada em Pangim, Goa, quando cumpria o serviço militar e, mais tarde, em 1963 realizou uma outra no Salão de Turismo de Santarém.

Em 1977 criou os primeiros cartões para tapeçaria e formou, em conjunto com outros dois artistas, o grupo G.I.P.

Mais tarde, em 1997 recebeu, em Paris, a Medalha de Prata Mérite et Dévouemant Français e no ano seguinte a Medalha de Bronze Arts-Sciences-Lettres, atribuída também na capital francesa.

As obras de Silva Palmeira estão representadas em coleções nacionais e internacionais, nomeadamente nos Estados Unidos da América, França, Bélgica, Itália, Suíça, Canadá, Japão, Alemanha, Holanda, Noruega, Escócia e Inglaterra.
Em Portugal, destacam-se as coleções do Governo Civil de Évora e Santarém, Comissão Municipal de Turismo da Nazaré, Museu de Angra do Heroísmo - Região Autónoma dos Açores, Galeria Sesimbra do Hotel Ritz. Lisboa, Academia de Artes de Montecatini. Itália, Galeria Portimão. Algarve, Museu Municipal Escultor Martins Correia, Golegã, Companhia de Seguros GAN. Lisboa, Imprensa Regional da Madeira. Funchal, Museu de Arte Moderna, da Caixa Geral de Depósitos. Lisboa, GalerieHerouet. Paris, Centro Português de Serigrafia com obra gráfica, Coleção Montepio Geral.
Imprimir

Sem comentários:

DESTAQUE.

"Mãe social" da Aldeia SOS condenada por ofensas a menores

ESCÂNDALO .  Uma "mãe social", que prestava serviço há cerca de 30 anos na Aldeia SOS, em Bicesse, e há dois anos cessou o vínculo...

+ populares