Ministério Público requer recolha de ADN e expulsão de estrangeiros em rede de tráfico desfeita pela PSP de Cascais

Segurança


                         02 outubro 2019
O Ministério Público (MP) acaba de requerer o julgamento em tribunal coletivo de seis arguidos, três deles estrangeiros, pela prática de crimes de tráfico de estupefacientes, de detenção de arma proibida, de coação e de introdução em lugar vedado ao público num inquérito em que foi coadjuvado pela PSP de Cascais.

A recolha de ADN aos arguidos, caso venham a ser condenados em pena concreta de prisão igual ou superior a três anos e a aplicação da pena acessória de expulsão do território nacional relativamente a três deles, constam do despacho de acusação no inquérito que foi dirigido pela 4ª Secção do Departamento de Investigação de Ação Penal (DIAP) de Sintra.
 

No essencial, segundo o Ministério Público (MP), está indiciado que, desde data anterior ao fim de março de 2019 que cinco dos arguidos, organizando-se entre eles estabeleceram, de comum acordo, as atribuições de cada um para conseguirem vender o produto estupefaciente, nomeadamente haxixe, auferindo contrapartidas monetárias”.

Em março de 2019 foram apreendidas aos arguidos grandes quantidades de haxixe e uma arma de fogo.

A apreensão de 51 quilos de haxixe, em placas e bolotas, foi feita por agentes da Esquadra de Investigação Criminal (EIC) da PSP de Cascais que, na altura e conforme Cascais24 então noticiou, detiveram, ainda, três homens, dois deles estrangeiros.

A operação, bem-sucedida dos investigadores criminais da PSP de Cascais, surgiu na sequência de “desentendimentos entre grupos rivais de traficantes”.

Na área de Benfica, em Lisboa, os policias intercetaram uma viatura com dois ocupantes, na qual transportavam um saco contendo diversas placas e bolotas de haxixe.

Já na posse posterior de quatro mandados de busca e apreensão, judicialmente autorizados para três domicílios e uma viatura, foi possível aos investigadores criminais da PSP de Cascais visualizarem e intercetarem um terceiro suspeito, na região de Pêro Pinheiro, concelho de Sintra.

O suspeito ainda tentou a fuga, mas foi perseguido, alcançado e detidos pelos polícias.

Este homem teria por função vigiar e guardar o produto estupefaciente que, entretanto, acabaria por ser encontrado. 

Na sequência da interceção dos suspeitos e das buscas efetuadas, os investigadores criminais da PSP conseguiram confiscar 51 quilos de haxixe, 4 mil euros em dinheiro, um revólver Smith & Wesson 38, 5 munições do mesmo calibre, diversos telemóveis e dezenas de cartões SIM.

Também um automóvel, no qual foi encontrada droga, foi confiscado pelos polícias.

Os dois cidadãos estrangeiros suspeitos encontram-se em situação irregular em Portugal, segundo apurou na altura a PSP junto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Quatro dos arguidos encontram-se, atualmente, em prisão preventiva.

Noticia relacionada 
Imprimir





Sem comentários:

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE