CRIME EM POLIMA. Encontro amistoso acaba em assassínio com três tiros

Segurança

Por Redação
22/09/2018
António Maria Função, o homem de 52 anos assassinado com três tiros em Polima, conhecia o alegado autor do crime, um jovem, de 21 anos, com o qual veio a encontrar-se, depois de um telefonema, num "contexto amistoso e de entendimento", que veio a descambar, por "questões antigas de situações" alegadamente "menos lícitas" numa violenta discussão, que culminou no assassínio, soube Cascais24.

Fonte próxima da investigação escusou-se, no entanto, a pormenorizar as alegadas "situações menos lícitas" que envolveriam vítima e assassino, bem como qualquer alegada ligação com o filho de António Maria Função, detido por violência doméstica e suspeitas de ligação a drogas.

À partida, no entanto, quando telefonou para a vítima a marcar o encontro, "o suspeito não teria qualquer intenção de matar, tratando-se, pelo contrário, de um encontro em contexto de entendimento", segundo a mesma fonte.

O suspeito foi identificado e detido esta sexta-feira, de manhã, por inspetores da Secção de Homicídios da PJ de Lisboa e Vale do Tejo, que ainda lograram resgatar a arma de fogo utilizada no crime, no final de uma investigação que durou 10 dias e para a qual contribuiu, também, os vestígios recolhidos e exames dos peritos do Laboratório de Polícia Científica (LPC), apurou, ainda, Cascais24.

O jovem detido, que vivia na região, foi ainda na sexta-feira, à tarde, submetido a primeiro interrogatório judicial e viu confirmada pelo juiz de Instrução Criminal de Cascais a prisão preventiva, tendo recolhido ao Estabelecimento Prisional de Caxias.

A vítima, António Maria Função, foi morta no passado dia 10, uma segunda-feira, ao final da noite, em Outeiro de Polima, São Domingos de Rana. 

O alerta para disparos e para a presença de um homem baleado, prostrado na via pública, foi dado por vizinhos, via 112, pelas 23h57.

António Maria, 52 anos (Foto CM)
Momentos antes, a vítima, António Maria Função, tinha recebido um telefonema para ir encontrar-se com alguém, perto da casa que partilhava com a mãe, a avó e uma sobrinha, na rua 28 de setembro, em Outeiro de Polima.

O homem saiu de casa e foi encontrar-se com o autor do telefonema, que conhecia.

A certa altura,  os moradores da rua 28 de setembro ouviram quatro disparos de arma de fogo e, curiosos, alguns saíram à rua, ainda a tempo de verem a vítima, entretanto baleada e prostrada no solo, ferida de morte, a ser agredida por "um rapaz com uma pedra na cabeça" no cruzamento entre aquela artéria e a rua da Pedreira.

O presumível asssassino abandonou o local ao volante de um veículo, marca Fiat, modelo Punto, cor cinzento claro.
Quando chegaram, Bombeiros de Carcavelos e o médico da VMER ainda tentaram várias manobras de reanimação, mas sem sucesso, acabando por ser confirmado o óbito.

Depois de cumpridas todas as formalidades legais, o corpo foi removido, para autópsia, para o Gabinete Médico Legal da Guia, em Cascais.

Familiares e vizinhos de António Maria descrevem-no como "pessoa simpática", que "nunca causou problemas".

Noticias relacionadas
+ALERTA. PJ prende suspeito de assassínio a tiro 
+Chamada para a morte em Polima 
+ALERTA. Morto a tiro em Outeiro de Polima 

Imprimir







Sem comentários:

Publicação em destaque

BOMBEIROS de Parede salvam canídeo de poço. Veja o vídeo do resgate

CANÍDEO aguarda pelo socorro (Créditos: BVParede) RESGATADO COM SUCESSO . Um canídeo foi resgatado, esta quarta-feira, de manhã, pelos Bomb...

FOI NOTICIA

BLOGS