Site oficial da Proteção Civil Nacional coloca Bombeiros de Alcabideche a acudir a agressão na...Buraca!

Segurança

Por Redação
22/10/2018
O site oficial da Autoridade Nacional de Proteção Civil colocou esta segunda-feira, à noite, os Bombeiros de Alcabideche a acudir a uma alegada agressão na...Buraca, a mais ou menos 25 km de distância e no concelho de Amadora!

A saída para a ocorrência está registada às 19h03 e com regresso às 19h43! Os Bombeiros de Alcabideche são conhecidos pela sua eficácia e rapidez, à semelhança de outras corporações do concelho, mas, convenhamos, não tanto...Só a "voar" e, mesmo assim...

Cascais24 contatou com o operador à Autoridade Nacional de Proteção, em Carnaxide, para esclarecer a situação, mas este acabou por transferir a chamada para o CDOS.

Já do lado do CDOS e, depois de outro operador ter atendido e ser confrontado com a questão, uma espera, com o disco de que a Proteção Civil aconselha, até que surgiu outra voz, identificada como Pedro Santos.

Confrontado com aquilo que o próprio jornalista adiantou poder ser "um eventual lapso", um longo silêncio e, depois de alguma insistência, as palavras sábias de que "lapsos existem" e, de novo, depois de longo silêncio, a pergunta do jornalista: "Mas foi lapso ou não?". Silêncio, de novo.

Finalmente, depois de nova troca de palavras, o interlocutor em serviço no CDOS de Lisboa remata: "O que está no site é oficial"!

Saturado de tanta incompetência ou, antes de um interlocutor que, na realidade, não tinha explicação para a situação anómala, o jornalista desliga.

O site oficial da Autoridade Nacional de Proteção Civil é público, foi criado no interesse público e a sua existência na Net funciona como um meio de informação privilegiado dirigido à Opinião Pública, a qual parte do princípio de que as informações ai publicadas são credíveis! Mas, pelos vistos não são!

Entretanto, como era de calcular, nos registos dos Bombeiros de Alcabideche não existe qualquer saída de socorro para a...Buraca, nem para qualquer outra localidade com a indicação de despacho para conflitos legais com agressão.
Imprimir

5 comentários:

Andre Duarte disse...

Bom dia,

Infelizmente, os erros e lapsos podem ocorrer. As instituições, são geridas por seres humanos e será uma situação normal e atípica.

Há que destacar este tão singelo aspecto!

O que será de lamentar, é a cultura instalada no serviço publico, que é incapaz de admitir que errou e aprender com isso.

Detectando-se um determinado erro, deve a instituição tomar decisões imediata no sentido de corrigir o erro.
Depois, de avaliada a análise da ocorrência devem as instituições indicações as acções correctivas que vão encetar a médio prazo, e esclarecer que medidas preventivas vão adotar para ser eliminado o erro.

Parece simples não é!
Se isto for feito com transparência, sem colocar ninguem em "cheque" os nossos serviços quer sejam publicos, quer sejam privados seria muito melhores!

Aqui fica a minha contribuição construtiva!

Cumprimentos

André D.

old_fire disse...

Boas tardes

Que se trata de um erro é certo, mas há dois pontos a notar:
1º - Onde está mencionado que foram os BV Alcabideche a intervir???.... Que se veja apenas está mencionado que foi na freguesia de Alcabideche, concelho de Lisboa, não menciona nenhum corpo de bombeiros.

2º Devemos sempre pensar um pouco antes de atirarmos lama e mesmo assim devemos ponderar o que vamos escrever, isto porque se forem ver no google maps existe uma "rua da Buraca" na freguesia de Alcabideche

Disse
JMendes

Kurare disse...

Falar é mais barato do que fazer.
Criticar não custa. O que custa é fazer melhor.

Atente-se que:
1. Existe uma Rua da Buraca em Alcabideche.
2. Quem disse que foram os Bombeiros de Alcabideche que lá foram ? Quando a ambulância do INEM local está ocupada, o INEM envia uma de outro CB que, por vezes, está a muitos quilómetros de distância.

O "jornalista" partiu logo do princípio que se estava a ser mau funcionário. E com este preconceito, fez uma notícia para maldizer de uma situação que, mesmo se seja um "erro", não tem qualquer importância.
A resposta que obteve do CDOS pode ter sido de alguém que se atrapalhou na resposta (quiçá algum reforço de verão) ou então uma dose de má vontade para com a imprensa, que se justifica quando esta tem este tipo de comportamento.

Parece-me que o "jornalista" perdeu-se uma boa oportunidade para estar calado. Não é sequer caso para se transformar em notícia, a não ser que a intenção seja de "escârnio e maldizer".

Enfim ...

João Pinto disse...

Duarte Botelho, no início do seu "comentário" acima, diz tudo: .."Falar é mais barato do que fazer". Apenas quis criticar o jornalista, (por quem apresenta ter uma qualquer malapata". Chega ao ponto de dizer que, mesmo havendo erro, não tem qualquer importância... depois, que se justifica uma dose de má vontade para com a imprensa... Não resta qualquer dúvida: a sua intervenção foi de puro "escárnio e maldizer"!

Kurare disse...

João Pinto. Não tenho qualquer malapata com esse jornalista até porque nem sequer o conheço. Apenas não aceito a atitude dele para com aquilo que ele tentou fazer. Tentou denegrir um serviço só porque não conseguiu o que queria.
Este jornalista demonstrou que não fez trabalho de campo suficiente para o texto que escreveu acabando por atropelar quem lhe apareceu à frente só porque não obteve as respostas que queria.
Quem assim faz sujeita-se a cometer erros (por vezes graves) e, consequentemente, a ser alvo, também ele, da crítica dos leitores. Aquela força para quem ele, inicialmente apelou com a sua pseudo-notícia (uma vez que é para nós, leitores, que ele escreve!).

Publicação em destaque

O regresso ao escritório pós-Covid: modelos e medidas a adaptar

TRABALHO .  O teletrabalho deixou de ser obrigatório desde o dia 1 de agosto em Portugal. A medida estava em vigor desde janeiro deste ano, ...

FOI NOTICIA

BLOGS