Presidente Carreiras faz “pacto” com Igreja Ortodoxa Russa por 250 euros por mês

Atual

Por Redação


A primeira Igreja Ortodoxa Russa em Portugal vai nascer na rua José Florindo, em Cascais, com o município a cobrar a 250 euros por mês, pelo direito de superfície de um terreno com mais de 5 mil metros quadrados, de acordo com o ato formalizado esta sexta-feira, entre Carlos Carreiras e o Bispo de Korsun, do Patriarcado de Moscovo.



O município cedeu em regime de direito de superfície, uma parcela de terreno – mais de 5 mil metros quadrados - para construção da Igreja Ortodoxa Russa e Instalações de Apoio.



Pela cedência do terreno por 50 anos, prorrogáveis, o município vai receber, mensalmente, cerca de 250 euros.


O ato formalizado esta sexta-feira é anunciado, sem pormenores, no site oficial da Câmara Municipal de Cascais. 


“Cascais vai, assim, contar com a primeira Igreja Ortodoxa Russa do país, o que nas palavras do Bispo Dom Nestor, “é um grande acontecimento para toda a diáspora russa, não só em Portugal como no resto do mundo, numa grande abrangência de povos”, anuncia o site, segundo o qual “existe uma comunidade que professa a Fé Ortodoxa bastante relevante em Cascais, que habitualmente celebra as suas missas na Igreja da Nossa Senhora da Conceição e que assim vai poder contar com um local próprio”.



“Acreditamos que o desenvolvimento de Cascais se faz no respeito pela nossa identidade e através da integração de todos aqueles que deixaram as suas terras de origem e escolheram este concelho para realizar o seu projeto de vida”, referiu, na oportunidade, o presidente da Câmara de Cascais.


Para o autarca de Cascais, “somos uma comunidade que integra 80% de todas as nacionalidades do mundo e que essa “integração das diversas culturas e crenças nos torna mais resilientes”.


A Igreja Ortodoxa Russa ocupa o quinto lugar na ordem das Igrejas Ortodoxas, com cerca de 200 milhões de fiéis. 


“Em Cascais não há estrangeiros, somos todos cascalenses”




“Em Cascais não há estrangeiros, somos todos cascalenses”, afirmou, em janeiro, Carlos Carreiras, por ocasião da visita do Bispo Dom Nestor, Bispo de Korsun da Igreja Ortodoxa Russa do Patriarcado de Moscovo. 




O Bispo russo foi recebido no Salão Nobre dos Paços do Concelho e afirmou, na altura, estar “apaixonado pela Vila de Cascais” e que “o acolhimento cascalense é um dos melhores em Portugal”, tendo mesmo acrescentado que “em Cascais sente-se bem a alma portuguesa.


Na oportunidade, o presidente da edilidade não perdeu a oportunidade de reafirmar que “o município de Cascais tem uma forte tradição no acolhimento de populações estrangeiras, vindas de todo o mundo”, e sublinhou mesmo que “a multiculturalidade e a capacidade de integração faz parte do ADN dos cascalenses”.










Sem comentários:

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."