Alcabideche faz 177 anos com especulação imobiliária e descaraterização de aldeias

Atual


Por Redação

Alcabideche, a maior freguesia em área geográfica do concelho de Cascais, na qual, alegadamente, reina uma cada vez maior especulação imobiliária de privados e a descaraterização de algumas das suas 18 povoações, a par do desleixo de algum património histórico, comemora o seu 177º. Aniversário, esta segunda-feira, com uma cerimónia em que homenageia diversas personalidades com a atribuição de medalhas de honra e de mérito. 


A sede do Grupo de Instrução Popular de Amoreira (GIPA) é o palco da sessão solene, a partir das dez horas da noite, depois de o início das comemorações ser assinalado, pelas sete horas da tarde, na Igreja Matriz, com a celebração de uma missa.


Nas instalações da coletividade de Amoreira têm, ainda, lugar a exibição do filme “Retrospetiva 2017 e as atuações dos Art’Dance-Grupo de Dança do GIPA e do barítono Tiago Amado Gomes, da Escola de Música Michel Giacometti.


Alcabideche é a maior freguesia em área geográfica do município cascalense, com 39,76 m2 e, atualmente, a quarta maior a nível populacional, com cerca de 42 mil habitantes (Censos de 2011). Já foi a segunda maior em termos populacionais, antes da unificação das freguesias de Cascais e Estoril e de Carcavelos e Parede.


“É na freguesia de Alcabideche que estão localizados grandes polos económicos empresariais e, também, onde a especulação imobiliária de privados tem vindo a aumentar com alguma impunidade, dando lugar a um crescimento urbanístico incontrolável e duvidoso, aceite de forma até certo ponto leviana pela autarquia, contribuindo para uma descaraterização cada vez mais visível de algumas das suas povoações”, observou um historiador, que pediu o anonimato.


“Para além disso, tem existido uma apatia relativamente a algum património histórico, autênticas relíquias, que interessam preservar em algumas povoações, mas que têm sido desprezadas”, concluiu a mesma fonte, segundo a qual “Alcabideche deve manter a sua matriz histórica, acautelando as suas gente e a sua cultura, sem renegar, no entanto, o desenvolvimento, mas feito de uma forma controlada e ordenada, o que não tem acontecido, porventura não totalmente por falta de empenho dos autarcas, mas porque outros altos interesses têm vindo a sobrepor-se…”.


José Filipe Ribeiro é o atual presidente eleito
A Junta de Freguesia de Alcabideche é atualmente liderada por José Filipe Ribeiro, da coligação Viva Cascais PSD-CDS-PP, que sucedeu a Rui Paulo Costa, entretanto eleito presidente da Assembleia de Freguesia, na sequência das eleições de 1 de outubro do ano passado.


Rui Paulo Costa, que exerceu nos últimos quatro anos o mandato como presidente da Junta de Freguesia, sucedeu, por uma questão de posição na lista hierárquica, a Bruno Nascimento que, em dezembro de 2013, faleceu vitimado por doença súbita e inesperada. O jovem promissor autarca tinha 36 anos e tomado posse há três meses como presidente da Junta de Freguesia de Alcabideche pela coligação Viva Cascais.






A homenagem, uma vez mais, de CASCAIS24, a Bruno Nascimento, publicada há três anos.

1 comentário:

estevesayres disse...

Conhecia, este jovem Bruno Nascimento, numa das reuniões da Junta de Freguesia de Alcabideche, representava o seu partido, para apresentação dos nomes, às mesas de voto. Não posso esquece-lo. Quando do presidente da altura me queria expulsar da reunião, por achar que o (PCTP/MRPP) não tinha direito, de lá estar, porque não tinha a presentado candidatura à Junta. Todos os outros representantes dos partidos se calaram como ratos , os tais ditos democráticos e de esquerda.
Este jovem, desde logo como uma atitude Democrática, fez ver ao presidente , que não tinha razão...
Perdemos um democrata, a minha sentida homenagem!

DESTAQUE.

Agente da Polícia Municipal agredido à cabeçada junto ao CascaisVilla

SEGURANÇA .  Um agente da Polícia Municipal foi agredido à cabeçada e teve necessidade de ser assistido no Hospital de Cascais, este sábado,...

+ populares