Faleceu fundador e primeiro presidente do PPD de Cascais que "nunca trocou família e profissão de engenheiro pela politica"

Atual


Por Redação

O fundador e primeiro presidente eleito da Comissão Política da Secção do PPD (Partido Popular Democrático) de Cascais, Eng.º José Manuel Ramos Lopes, faleceu aos 82 anos, em Cascais, estando o funeral marcado para esta sexta-feira, à tarde, da Igreja da Ressurreição, nas Fontainhas, para o cemitério da Guia.

O Engenheiro José Manuel Ramos lopes foi, também, diretor da Fundação Calouste Gulbenkian.


Segundo recorda António D`Orey Capucho, amigo e companheiro Social-Democrata, José Manuel Ramos Lopes “desempenhou um papel determinante na implantação do partido no concelho de Cascais e na difusão do ideário social-democrata”.


António Capucho
“Pessoa simpática, muita querida e popular em Cascais, de conduta ética exemplar e hábitos modestos, nunca ambicionou assumir cargos políticos ou partidários a nível distrital ou nacional, privilegiando a família e a profissão”, escreve António Capucho na sua página do Facebook.
 

Recorda-se que o PPD foi fundado em maio de 1974, menos de um mês depois da Revolução de Abril, por Francisco Sá Carneiro, Francisco Pinto Balsemão e Magalhães Mota. Ao tornar-se no primeiro Secretário-Geral do partido, Francisco Sá Carneiro viria, em outubro de 1976, depois da reforma dos estatutos, a ser nomeado o primeiro Presidente do partido que, a partir daí, passou a designar-se por Partido Social Democrata (PSD). 


José Manuel Ramos Lopes (o primeiro à esquerda) na sessão de esclarecimento em Cascais, em 1975
Na mensagem de pesar endereçada à família, sobretudo aos filhos, e que é acompanhada de uma foto, captada em 1975, aquando de uma sessão de esclarecimento, realizada em Cascais, e na qual também surge ao lado do Prof.º Dr.º Jorge Miranda, grande Constitucionalista português - o antigo autarca cascalense António Capucho sublinha que a morte de José Manuel Ramos Lopes “deixa nos seus familiares e em todos nós que com ele convivemos uma enorme saudade”.


José D´Encarnação
Também o professor catedrático aposentado e antigo colaborador do extinto “Jornal da Costa do Sol”, José d`Encarnação, afirma “partilhar com mágoa” a morte de José Manuel Ramos Lopes e recorda, também: “Tive ocasião muitas vezes de falar com Ramos Lopes. Sempre recebi dele a maior atenção, no mais amplo respeito pelos deveres de cidadania, que muito prezava. Nunca o vi em “bicos de pés” para se evidenciar ou para fazer valer os válidos contributos que dava. Era uma pessoa de aparência modesta, nada amiga de dar nas vistas, preferindo trabalhar a falar”.


Homenageado há 3 anos

O Eng.º José Manuel Ramos Lopes, pessoa discreta e popular em Cascais, que vivia no centro da Vila e com o qual, certamente, muitos de nós nos cruzaríamos diária ou esporadicamente como um qualquer cidadão comum anónimo, fora homenageado há três anos pela Ordem dos Engenheiros (OE), em cerimónia realizada nas Caldas da Rainha.


José Manuel Ramos Lopes foi homenageado no Dia Nacional do Engenheiro, em 2014, como membro com 50 anos de inscrição na Ordem dos Engenheiros.


O funeral do Homem que teve uma conduta exemplar ao longo da sua vida e “nunca ambicionou cargos políticos ou partidários, privilegiando a família e a profissão”, realiza-se esta sexta-feira, às 14h30, da Igreja da Ressurreição, nas Fontainhas, para o cemitério da Guia.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, foi uma das figuras que, esta quinta-feira, à noite, compareceu no velório, na Igreja da Ressurreição, apresentando condolências à família.

Cascais24 endereça, também, os seus mais sentidos votos de pesar à família do Engenheiro José Manuel Ramos Lopes.




1 comentário:

Urubu disse...


Grande Amigo e colega desde o Liceu ...

Que Deus o guarde em sua Santa Glória.

+ populares

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."

MULTIMÉDIA.SAÚDE