Escândalo trava ex-vereador de Cascais

Atual




Na sequência do escândalo divulgado pela TVI, o ex-vereador da Câmara Municipal de Cascais e deputado pelo PSD Ricardo Baptista Leite assegurou não assumir o cargo de vice-presidente da Associação Raríssimas, para o qual fora convidado em novembro pela presidente Paula Brito e Costa.

O convite ao também médico Baptista Leite fora feito a 18 de novembro último e, entretanto, o seu nome fora aprovado em assembleia Geral da Associação, que agora está sob investigação devido as suspeitas de alegada gestão danosa.

Em declarações públicas, Ricardo Baptista Leite confirmou o convite e a sua intenção de não assumir o cargo. “Aceitei o desafio e fui informado que seria levado a assembleia geral, que foi aprovado e não tive mais nenhum contacto sobre a tomada de posse. Depois começaram a surgir as notícias da reportagem e fiquei à espera de esclarecimentos, que deixaram muito por esclarecer. As condições que existiam e que se baseavam num capital de confiança neste momento não existem para que possa assumir o cargo”. 

"Seria sempre uma função pro bono com o objectivo de ajudar a instituição a dar um impulso a nível nacional e internacional", disse Ricardo Baptista Leite ao jornal Público.

Ainda de acordo com as suas declarações ao mesmo jornal, “há muitos anos acompanho a causa das doenças raras e a Raríssimas é a instituição mais relevante em Portugal nesta área”.

E, acrescentou: “Comecei a conhecer a Paula Brito e Costa através das visitas institucionais à associação. Foi sempre uma ligação pro bono, tal como tenho com outras instituições”. 

Referindo-se à presidente da Raríssimas, Baptista Leite recordou que a primeira imagem que teve de Paula Brito e Costa foi a de uma "mãe que perdeu um filho e que traduziu essa morte na construção de uma instituição para dar resposta a pais, como ela não teve na altura, e de uma líder determinada à frente de uma associação".

Ricardo Baptista Leite foi um dos eleitos para a Câmara Municipal de Cascais nas eleições de 2013, tendo desempenhado o cargo de vereador até outubro último, com as áreas do desenvolvimento Estratégico, Conhecimento, Instalação e Investigação Universitária, Coordenação das Políticas Públicas Municipais na Rede Universitária prevista para o Concelho, Relações Internacionais e Diplomacia Económica de âmbito municipal, Juventude e Promoção do Emprego.


Já quanto às entidades de âmbito municipal fez parte do Conselho Consultivo do Centro de Reabilitação Profissional de Alcoitão, Conselho Consultivo dos Centros de Saúde de Cascais e Parede e Conselho Municipal de Juventude.

Chegou, ainda, a desempenhar funções de vice-presidente do município, em substituição de Miguel Pinto Luz, entretanto convidado para integrar o XX Governo Constitucional, de Pedro Passos Coelho como secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações.

2 comentários:

Anónimo disse...

Este é o mesmo senhor que tratou do negócio de a Câmara oferecer ao preço da uva mijona o antigo edifício do SMAS no centro de Cascais para a Universidade Católica onde ele mesmo, por acaso, é professor e coordenador de cursos na área da saúde.
Era coisa tão 'transparente´que à última da hora Carlos Carreiras até substituiu o dito vereador Ricardo Leite como assinante da proposta.
E mais o Hospitalzinho privado à custa dos edifícios públicos do antigo Hospital de Cascais, também a preço de saldo.
Tudo boa gente...

Anónimo disse...

Que mais nos reserva a nata escolhida pelo T.O.C. ?
Esta versão do antigo edificio dos SMAS merece mais aprofundamento, talvez a 22 ª visita da PJ ?


A BEM DE CASCAIS

Publicação em destaque

FUNCIONÁRIA do Modelo Continente de Tires salva cliente de 81 anos em paragem cardiorrespiratória

HEROÍNA .  Ao aplicar os seus conhecimentos de suporte básico de vida, com a ajuda de um desfibrilhador, até à chegada dos Bombeiros de Pare...

FOI NOTICIA

BLOGS