Pais de Alcabideche à beira de um ataque de nervos com revisão de carta educativa

Atual

Vereador Frederico Pinho de Almeida garante que "nenhum aluno será transferido para Alapraia"



Pais e encarregados de educação de cerca de 250 jovens que frequentam escolas até agora integradas no Agrupamento de Alcabideche (Alcoitão) estão à beira de um ataque de nervos contra a eventual transferência de alunos para o Agrupamento de Alapraia, na sequência da discussão, em curso, da proposta de revisão da carta educativa do concelho de Cascais, mas o vereador responsável pelo pelouro da Educação da Câmara de Cascais, Frederico Pinho de Almeida, garantiu a Cascais24 que “nenhum aluno será transferido” para fora da freguesia. 


Segundo Frederico Pinho de Almeida, “a questão chegou a ser equacionada em reuniões”, mas salvaguardou que “está fora de questão a ida de alunos para o Agrupamento de Alapraia”- a cerca de seis quilómetros de distância.


“Serão integrados na IBN Mucana, em Alcabideche”, assegurou, a Cascais24, o vereador responsável pelo pelouro da educação no executivo camarário.


De acordo ainda com as declarações de Frederico Pinho de Almeida, no caso de Alcabideche, pretende-se com esta medida “combater a segregação social e tornar uma realidade a inclusão e coesão social”.


Recorda-se que o Agrupamento de Escolas de Alcabideche tem funcionado como um estabelecimento de ensino de “inclusão”, com turmas de alunos de 16 nacionalidades.


O vereador Frederico Pinho de Almeida adiantou, a Cascais24, que “as alterações que vierem a ser aprovadas só entrarão em vigor, na melhor das hipóteses, a partir do próximo ano letivo”.


No caso de Alcabideche, Frederico Pinho de Almeida revelou que “o que está em causa é a junção do Agrupamento de Escolas de Alcabideche com a IBN Mucana”, prevendo-se que a sede do Agrupamento de Alcabideche, em Alcoitão, “venha a funcionar apenas para o ensino Secundário”, enquanto a IB Mucana venha a dedicar-se aos 2.º e 3.ºciclos”.


Já quanto ao pessoal docente e não docente dos estabelecimentos de ensino a extinguir no Agrupamento de Escolas de Alcabideche, o vereador assegurou, também, que “não há razão para preocupações”, pois “os seus postos de trabalho estão garantidos” e revelou mesmo que no que diz respeito ao pessoal não docente “o município irá em breve à bolsa de recrutamento admitir mais 28 assistentes operacionais”.

Petição pública

Preocupados com esta revisão da Carta Educativa e, sobretudo no caso da previsível extinção do Agrupamento de Escolas de Alcabideche, estão os pais e encarregados de educação, os quais, inclusivamente, colocaram a circular uma petição pública, na qual manifestam o seu desagrado e revolta até pelo que consideram “o desmantelamento do Agrupamento.

Na petição dirigida ao Primeiro Ministro e, entre outros, ao ministro da Educação, afirmam queos alunos das EB Malangatana (Alcoitão 3) EB Bruno Nascimento (Alcoitão 1) JI Fátima Campino(Bairro de Alcoitão) passarão a pertencer ao Agrupamento de Escolas da Alapraia. 

Os alunos destas escolas, quando terminarem o 1º ciclo, terão obrigatoriamente de se inscrever no AE da Alapraia, que dista a 6Km da área de residência dos alunos. 

A EB Alcabideche(C+S) passará pertencer ao Agrupamento de Escolas Ibn Mucana e deixará de existir enquanto escola, passando a ter apenas turmas do 1º e 2º ciclo, sem haver conhecimento do que vai acontecer aos atuais alunos. Na EB Profª Maria Margarida Rodrigues deixará de ter 1º ciclo e terá apenas Jardim de Infância. 

Não está previsto em lado algum, a integração de turmas do Percurso Curricular Alternativo (PCA) e do Programa Integrado de Educação e Formação (PIEF). Face a isto, o Agrupamento de Escolas Ibn Mucana passa a ter cerca de 3000 aluno e o Agrupamento de Escolas de Alcabideche deixa de existir. 

Uma vez que a comunidade escolar já se manifestou contra esta situação, bem como já foi elaborado um documento expondo o desagrado que será enviado à Câmara Municipal de Cascais e ao Ministério da educação, resta-nos a assinatura de uma petição pública a dar força a este nosso desagrado perante tal situação.


Pode aceder a esta petição pública em
http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT87549



Sem comentários:

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."