GREVE. Mais de 100 mil sem comboios na linha de Cascais esta segunda-feira

Atual

Por Redação


Esta segunda-feira não vai haver circulação de comboios em todo o País, devido à greve marcada e por não terem sido definidos serviços mínimos, informou a CP, que também prevê perturbações este domingo e na terça-feira.

A linha de Cascais, na qual viajam, em média, por dia, cerca de 100 mil pessoas, é uma das afetadas pela greve.

A CP informou, ainda, que não foram criadas alternativas, pois “não foram definidos serviços mínimos pelo Tribunal Arbitral nomeado pelo Conselho Económico e Social".

Também para este domingo, a CP admite a possibilidade de atrasos e supressões em todos os serviços, "com particular incidência a partir do final da tarde e noite", enquanto na segunda-feira "não se prevê circulação de comboios a nível nacional, em todos os serviços".

“Na terça-feira, nas primeiras horas da madrugada e manhã, "poderão ainda ocorrer atrasos e supressões, prevendo-se a regularização gradual da circulação até ao final da manhã", diz, ainda, a CP.

Esta sexta-feira, a FECTRANS -- Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações- anunciou manter-se marcada a greve dos trabalhadores da CP para exigir a "diminuição das desigualdades salariais, aumentadas com a última proposta de regulamento de carreiras apresentada e implementada pela administração da empresa", depois de “terminada reunião com a administração da CP, sem acordo”.

No início do mês foi anunciado o pré-aviso de greve apresentado pelos sindicatos não subscritores do recente acordo de regulamento de carreiras na empresa. De acordo com a informação do Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF), "a greve tem como objetivo a negociação efetiva de um regulamento de carreiras que dignifique e valorize os trabalhadores da CP - Comboios de Portugal, EPE, com baixos salários, reduzindo de forma efetiva as desigualdades salariais existentes, em vez de as aumentar enormemente".


Em comunicado, a FECTRANS anuncia que “os quatros sindicatos subscritores do pré-aviso de greve (SNTSF/FECTRANS; SFRCI; SINFA; ASSIFECO) mantêm toda a disponibilidade para continuar as negociações com vista a encontrar-se uma solução que responda satisfatoriamente às reivindicações dos trabalhadores”.



Ainda segundo a FECTRANS, na reunião registaram evoluções na proposta da empresa, nomeadamente, a retomada das negociações da contratação colectiva acordo de Empresa e Regulamento de Carreiras, a partir do dia 2 de Abril e a garantia de um aumento mínimo de atualização dos salários no âmbito da negociação da do Regulamento de Carreiras, com antecipação a janeiro da primeira fase de implementação da nova grelha salarial”.


No entanto, de acordo com a FECTRANS, “não evoluíram em duas questões consideradas essenciais”, que passam pela “ equidade e maior equilíbrio na progressão de todos os trabalhadores na grelha salarial e a manutenção das funções do Regulamento de Carreiras de 1999, no que concerne à carreira comercial, como base de trabalho para a futura negociação”.


Finalmente, a FECTRANS considera que, a haver “disponibilidade da administração para continuar a negociação a partir do ponto em que ficou e evoluir, poder-se-ão criar as condições para um entendimento que evite os custos de uma greve”.


Sem comentários:

MAIS PROCURADAS

MULTIMÉDIA.SAÚDE

MULTIMÉDIA. SEGURANÇA

A PSP e o Metro recomendam: "Durante a abertura de portas não utilize o telemóvel. Pode ser vítima de roubo."