Médica e bombeira em Carcavelos morre na Tanzânia ao cumprir sonho de safari

Atual

Por Redação
28/09/2018

Os Bombeiros de Carcavelos e São Domingos de Rana e o INEM estão de luto, com a morte, na Tanzânia, da médica e bombeira Beatriz Amaral, 37 anos.

Vítima de um acidente de viação, esta quarta-feira, na Tanzânia, para onde viajara na semana passada para cumprir um velho sonho de fazer um safari no Parque Nacional de Serengeti, Beatriz Amaral trabalhava no Centro Hospitalar de Lisboa Central, no Hospital Curry Cabral, e no INEM desde há 7 anos.

Natural de Peso da Régua e a viver em Odivelas, a malograda médica e bombeira era mais recentemente operacional nas VMER de Cascais e de Loures, para além de trabalhar no CODU (Centro de Orientação de Doentes Urgentes) e no SHEM (Serviço de Helicópteros de Emergência Médica) do INEM.

Paulo Santos, comandante do corpo de Bombeiros de Carcavelos e São Domingos de Rana recordou, a Cascais24, que a médica e bombeira especialista Beatriz Amaral era uma “pessoa muito dinâmica, cheia de projetos”.

Beatriz Amaral colaborava com os Bombeiros de Carcavelos e São Domingos de Rana desde maio último, no âmbito do voluntariado.


Comandante Paulo Santos
“Nos poucos meses em que colaborou com o nosso Corpo de Bombeiros, enquanto Bombeira Especialista (Médica), a Beatriz Amaral, demonstrou ser uma pessoa extraordinária, dinâmica, competente, exigente e cheia de projetos que queria partilhar connosco. Quando partiu de férias, veio despedir-se e deixar (para sempre!) uma imagem de felicidade”, escreveu o comandante Paulo Santos na sua página pessoal do Facebook.

“Existem pessoas que nos marcam”, escreve, ainda, Paulo Santos, segundo o qual “mais uma vez o CB Carcavelos SD Rana está de luto!”, referindo-se, embora sem o precisar, também à morte do bombeiro José Moreira que, aos 41 anos, encontrou a morte no despiste de um auto-tanque, quando seguia para um incêndio, em agosto de 2015.

Também a Associação Humanitária dos Bombeiros de Cascais faz alusão à morte de Beatriz Amaral, que “colaborou em diversos eventos no Concelho de Cascais, através do Posto Medico Avançado dos Bombeiros Voluntários de Parede.

“Os Corpos de Bombeiros de Cascais encontram-se de luto neste difícil momento”, diz, ainda, a Associação Humanitária dos Bombeiros de Cascais, adiantando que “a Emergência Médica em Portugal ficou mais pobre...”.

Finalmente, esta Associação endereça “sentidas condolências” à família, amigos e colegas de Beatriz Amaral.

Nas redes sociais tem-se multiplicado, igualmente, as condolências à família, amigos e colegas da médica portuguesa.

Entretanto, segundo Cascais24 apurou, a autópsia à malograda médica foi realizada esta quinta-feira, na Tanzânia, sendo ainda desconhecido o dia em que o corpo é trasladado para Portugal, encontrando-se o processo a ser conduzido pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, através do Consulado português em Maputo, Moçambique.  

O acidente, que foi fatal para a médica e bombeira portuguesa, deu-se quando viajava com outros turistas para o Parque Nacional de Serengeti - um parque com cerca de 40000 km², localizado no norte da Tanzânia, onde vivem mais de 35 espécies de grandes mamíferos leões, hipopótamos, elefantes, leopardos, rinocerontes, girafas, antílopes e búfalos, além hienas, chitas, macacos e mais de 500 espécies de pássaros.



Imprimir




1 comentário:

Maria Portugal disse...

Bem haja por tudo o que fazia, e o fazia com amor e gosto!
Sentimentos à família, e amigos!
Que sua alma descanse em paz! Amém.

Publicação em destaque

REGIÃO interior de Cascais foi a mais fustigada pelo mau tempo

O interior do concelho de Cascais foi o mais fustigado pelo mau tempo, sobretudo pela forte precipitação que assolou a região entre o final ...

FOI NOTICIA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA

UM JORNAL QUE MARCA A DIFERENÇA